Foto: reprodução

Com informações da Tribuna Feirense, 

Durante a apresentação de domingo (21) na Micareta de Feira, Igor Kannário parou de cantar para repreender a ação de uma policial. O cantor teria a acusado de agredir foliões durante a festa e dito que é ‘mais autoridade’ que um policial por ser vereador. A ação teria sido vista como desacato pelo coronel do Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL), Adelmário Xavier.. Ele declarou ao Acorda Cidade que o artista deveria ter recebido uma resposta rígida da Polícia Militar. “Se eu chego perto dele, o procedimento normal era deixar terminar a apresentação e conduzi-lo à delegacia. Se eu chego na hora iria arrancá-lo do trio e, caso fosse eu, iria fazê-lo engolir aquele microfone para ele aprender a respeitar as pessoas e a Polícia Militar da Bahia”, disse o coronel.  No instagram, a assessoria de Kannário relatou que o artista ficou “abismado” com a ação da polícia de Feira e que pedirá uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Salvador para que o comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Anselmo Alves Brandão esclareça os fatos e as providências que serão tomadas. Em nota, o cantor informou que vai entregar uma representação ao Procurador Geral do Ministério Público do Estado da Bahia e à Corregedoria da Polícia Militar para que os órgãos “apurem a violência praticada”. Em resposta, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que vai investigar os supostos excessos cometidos na festa e que estão abertos para receber qualquer tipo de denúncia de abuso policial. Entretanto, a SSP repreendeu a atitude de Kannário, pois ele teria tentado “levantar e instigar uma disputa de poderes em um evento público, inclusive desqualificando a centenária e respeitosa Polícia Militar”, e que isso não são condutas esperadas de um artista e membro do legislativo. O órgão explicou ainda que tomará as providências judiciais cabíveis caso fique comprovado que a denúncia de Kannário foi uma forma de realizar desacato.

Foto: reprodução

A menos de uma semana do fim da Campanha de Vacinação contra Gripe, a Bahia vacinou apenas 53,71% do público-alvo. De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (22), aproximadamente 1,7 milhão de baianos foram imunizados. O público-alvo no estado inclui cerca de 3,3 milhões de idosos a partir de 60 anos, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, puérperas, trabalhadores de saúde, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas sócioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. A campanha será encerrada nesta sexta-feira (26) e tem o objetivo de imunizar 90% do público indicado.

 

Foto: Se liga Brumado

O Governo do Estado vai nomear mais 35 peritos (25 médicos-legais e 10 odonto-legais) aprovados em concurso público. A informação foi divulgada pelo governador Rui Costa por meio do Twitter (@costa_rui), na tarde desta segunda-feira (22). "Com isso, fechamos as nomeações de todos candidatos aprovados no curso de formação. Esforço feito para atender ao interior do estado", comentou Rui.  O decreto com a relação dos candidatos será publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) desta terça (23). O impacto financeiro com estas nomeações será de R$ 6,2 milhões anuais. Os 35 peritos vão atuar no interior baiano e somar-se a outros 86 já nomeados pelo mesmo edital de 2014 para compor o quadro de servidores da Secretaria da Segurança Pública (SSP).  Com esta nomeação, o Governo alcança o número de 121 peritos nomeados (38 criminalísticos, 56 médicos-legais, 10 odonto-legais e 17 técnicos de polícia).

Cerca de 1.200 funcionários já foram demitidos e 150 lojas da Cesta do Povo já foram fechadas desde dezembro de 2015. O objetivo do governo do Estado, na época, era privatizar a empresa, mas o plano até hoje não saiu do papel. Única rede de supermercados estatal no Brasil, o empreendimento de 36 anos tinha acumulado um prejuízo de R$ 750 milhões. No ano passado, a situação piorou e a Empresa Bahiana de Alimentos – Ebal, controladora da Cesta do Povo, amargou uma perda de R$ 158,1 milhões. O leilão público proposto pelo governo possuía uma cláusula que permita a absorção de um percentual mínimo de funcionários pelos novos empreendedores, mas a estrutura de 276 lojas e 2.769 funcionários em 229 municípios, não despertou o interesse de nenhum comprador para o lance mínimo exigido para a venda na época, R$ 81 milhões. Agora, a Associação Baiana de Trabalhadores da Ebal/Cesta do Povo (Abtec) reclama de um programa de demissão voluntária (PDV) feito pelo Estado. “O governador Rui Costa, abriu uma enquete nesta semana para os funcionários que ainda restam nas 60 lojas abertas da Ebal espalhadas nos municípios, propondo demissões voluntárias sem perda de direitos trabalhistas. Entretanto, há uma contradição nessa proposta: como pode um plano de demissão voluntária garantir direitos trabalhistas se o propósito de tal plano é enxugar gastos com gestão de pessoas?”, indaga o presidente da Abtec, Francis Tavares.

Foto: Se liga Brumado

O Governo da Bahia publica, no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quarta-feira (17), mais um edital para realização de concurso público na área da segurança pública. Pelas redes sociais, o governador Rui Costa anunciou a realização do processo seletivo: "Depois de publicar o edital do concurso para soldado, com 2750 vagas, chegou a vez de abrir a seleção para o Curso de Formação de Oficiais (CFO). O edital sai amanhã e a prova está prevista para o dia 20 de agosto", escreveu Rui em sua página oficial no Facebook . A seleção será realizada por meio de convênio com a Universidade do Estado da Bahia (Uneb). O período de inscrição vai de 22 de maio a 11 de junho, via internet através do site www.cfopmbm2017.uneb.br ou www.consultec.com.br. A organizadora do certame será a Consultec. A taxa custa R$ 138,00.  Serão 60 vagas para a Polícia Militar, distribuídas em 54 para o sexo masculino e seis para o feminino, e 30 vagas para Bombeiro Militar, sendo 24 para homens e seis para mulheres. Os candidatos devem ter no mínimo 18 anos e no máximo 30. Para os aprovados, o curso terá duração de três anos, através da Uneb. No último dia 9, o governador anunciou, em transmissão ao vivo no Facebook, o lançamento do edital do concurso público para o provimento de outras 2.750 vagas na área de segurança pública do estado, destinadas ao cargo de soldado, também para a Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. As inscrições para o concurso de soldado foram iniciadas nesta segunda-feira (15) e seguem até 19 de junho, exclusivamente pela internet, no site da IBFC, seguindo o horário de Brasília. A taxa custa R$ 70. De acordo com o edital, 2 mil vagas são destinadas ao Curso de Formação de Soldado da Polícia Militar e 750 vagas são voltadas ao Curso de Formação de Soldado do Corpo de Bombeiros Militar.  Podem concorrer jovens de nacionalidade brasileira ou portuguesa, entre 18 e 30 anos, que tenham concluído ensino médio ou formação técnica profissionalizante de nível médio, sendo também observadas outras exigências do edital.

Páginas