Foto: reprodução

Os estudantes da rede estadual, que quiserem garantir a vaga nas escolas onde estudam, têm até esta quinta-feira (30) para fazer a renovação de matrícula para o ano letivo de 2018.  O processo pode ser realizado pela internet, através do Portal da Educação (www.educacao.ba.gov.br), ou diretamente na unidade escolar onde o aluno está matriculado, tem frequência regular e está concluindo o ano letivo de 2017. Para a renovação, o estudante deverá recolher a carta de renovação na secretaria da escola onde estuda, sinalizar a intenção ou não de permanecer na unidade escolar onde está matriculado e devolver o documento para a escola. No caso de menores de 16 anos, é necessário que os pais ou responsáveis sinalizem a permanência ou não do aluno na escola e assinem o documento para a devolução. A outra opção é o estudante ou responsáveis (no caso de menos de 16 anos) utilizarem o código disponível na carta para acessar o sistema e renovar a matrícula pela internet. O coordenador da matrícula da Secretaria da Educação do Estado, Marcus Machado, fala sobre a importância do processo de renovação da matrícula. “A renovação é que vai garantir a vaga do aluno na mesma escola e no mesmo turno em que cursou em 2017. O estudante que não renovar a sua matrícula, não terá a vaga garantida na mesma unidade escolar e no mesmo turno para o ano seguinte, porém, de posse da carta que ele já recebeu da escola, utilizando o código contido no documento, ele poderá fazer a matrícula no dia 16 de janeiro, que é a data destinada à transferência dos alunos da rede estadual. Portanto, a renovação é importante porque se trata do momento em que a escola vai identificar o interesse do estudante em permanecer naquela unidade em que está matriculado”, destacou. A matrícula para os alunos novos ou para os alunos da rede que irão mudar de escola acontecerá em janeiro de 2018.

A ex-senadora Heloísa Helena (Rede) voltou a dizer que o ex-presidente Lula é “mafioso” e “chefe de gangue”. Os petardos foram disparados por ela quando da saída do PT há 13 anos e repetidos nesta sexta-feira (24), em entrevista a rádio Metrópole. “Eu sei o que disse naquele momento e sei que significa  a mesma coisa ainda hoje”, reafirmou a ex-senadora, que está em Salvador para participar de evento com a presidenciável Marina Silva. Em 2003, com o voto de dois terços da direção nacional (55 dos 84 integrantes), a então senadora Heloisa Helena (AL), além dos deputados João Batista Babá (PA), Luciana Genro (RS) e João Fontes (SE) foram expulsos por indisciplina e infidelidade partidária. Depois que deixou o PT, Heloisa Helena passou pelo Psol, partido que também teve divergência, e atualmente está na Rede.

Foto: reprodução

Por Rodrigo Ferraz,

A Polícia Federal realiza uma grande operação em Vitória da Conquista e região. Segundo informações obtidas pela reportagem do Blog do Rodrigo Ferraz, a operação visa atingir empresários, políticos e servidores de prefeituras. A iniciativa visa investigar, principalmente, desvio de verbas na educação entre os anos de 2010 e 2016. Viaturas foram vistas em Conquista e Itambé, além de outros municípios da região e também em Minas Gerais. Eram utilizadas três cooperativas de fachada, já que não havia concorrência nas licitações. Os mandados estão sendo cumpridos nas cidades baianas de Barra do Choça, Cândido Sales, Condeúba, Encruzilhada, Ribeirão do Largo, Gandu, Itambé, Jequié, Piripá, Vitória da Conquista, Tanhaçu, Ipirá, Salvador, Barreiras, Luís Eduardo Magalhães e Formosa do Rio Preto. Em Minas Gerais, a operação ocorre na cidade de Mata Verde. Segundo as investigações, iniciadas em 2013, três falsas cooperativas que pertenciam a um mesmo grupo, vencedoras de licitações recorrentes, desviavam recursos públicos obtidos através de contratos celebrados com diversos municípios, na área de transporte, sobretudo escolar. Com os dados obtidos foi possível verificar que essas cooperativas serviam apenas de “fachada”, não havendo concorrência entre elas uma vez que as vencedoras eram definidas previamente.

Foto: Reprodução

Por Correio 24 horas,

Seis vereadores, um ex-prefeito, um empresário, ex-vereadores e servidores públicos foram presos no interior da Bahia na Operação Carro Fantasma, deflagrada nesta terça-feira (21) pelo Ministério Público da Bahia. A operação teve como alvo um esquema de corrupção na prefeitura do município de Remanso, no Vale de São Francisco. Foram presos o ex-prefeito do Município de Remanso, Celso Silva e Souza; o seu irmão e ex-secretário de Administração e Finanças Arismar Silva e Souza; seis vereadores, incluindo o presidente da Câmara de Vereadores, Cândido Francelino de Almeida; além de ex-vereadores, servidores públicos e um empresário. Ao todo, foram cumpridos 12 mandados de prisão preventiva, seis de condução coercitiva e 18 de busca e apreensão.  Segundo o Ministério Público, o grupo é suspeito de participar de um esquema de corrupção na locação de veículos para as secretarias do município. A fraude aconteceu nos contratos realizados em 2013 e 2016. Ainda de acordo com a investigação, foram desviados cerca de R$ 13 milhões por intermédio da empresa JMC Construtora, Comércio e Serviços Ltda, que tem como sócio-administrador o empresário José Mário da Conceição, o Mazinho, também alvo de prisão preventiva. O dinheiro desviado foi usado para gastos particulares, dívidas de campanha e compra de apoio político, aponta o MP. Os carros foram sublocados em nome de laranjas, para beneficiar vereadores e outros políticos. Além das prisões, documentos, celulares, computadores e veículos de luxo foram apreendidos na operação. A ação contou com o apoio da Coordenadoria de Segurança Institucional e Investigação (CSI), Centro de Apoio Operacional às Promotorias Criminais (Caocrim), Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Proteção à Moralidade Administrativa (Caopam), da Promotoria de Justiça Regional de Juazeiro, promotores de Justiça dos estados da Bahia, Piauí e Pernambuco, das Polícias Rodoviária Federal, Civil e Militar que auxiliaram no cumprimento dos mandados nos municípios de Remanso e Araci, na Bahia, São Raimundo Nonato, no Piauí, e Petrolina, em Pernambuco.

Foto: reprodução

Por Varela Notícias, 

Mesmo com a redução da gasolina, em 3,8%, e do diesel, em 1,3%, parece que o barateamento do preço não foi sentido por consumidores baianos. Segundo o Sindicato do Comércio de Combustíveis, Energias Alternativas e Lojas de Conveniências do Estado da Bahia (Sindicombustíveis-BA) mesmo com a determinação da Petrobrás, a distribuidora BR não repassou o reajuste. “O impacto do reajuste no preço final ao consumidor depende de outros fatores da cadeia de combustíveis, principalmente das distribuidoras. O que está acontecendo é que a BR não repassa as reduções, somente os aumentos, e os donos de postos não têm como vender mais barato”, disse o presidente do Sindicombustíveis Bahia, José Augusto Costa.

Páginas