Foto: reprodução

Na manhã desta quinta-feira (28), o governador Rui Costa participou da inauguração do maior parque de energia solar do país, construído pela empresa italiana Enel Green Power em Bom Jesus da Lapa, no oeste baiano. O empreendimento é composto por duas usinas e tem capacidade de gerar anualmente cerca de 340 Gigawatt-hora (GWh), o suficiente para atender mais de 166 mil lares brasileiros em um período de 12 meses. Com grande potencial para produção de energia limpa, o estado da Bahia tem apostado cada vez mais na utilização de fontes renováveis que prezam a sustentabilidade ambiental, como solar, eólica e biomassa. A energia produzida no complexo de Bom Jesus da Lapa será injetada diretamente na rede elétrica, auxiliando os estados que mais sofrem com a falta de chuvas. De acordo com o governador, as fontes renováveis vão trazer ainda, oportunidades de emprego e desenvolvimento para a população da região. “É a realização de um sonho, um planejamento feito há anos, onde se vislumbrou o potencial da energia alternativa, sustentável no Estado da Bahia. Significa uma possibilidade de forte desenvolvimento, renda e oportunidades de emprego para a região do semiárido baiano, um benefício para um contingente enorme de pessoas, que em função da dificuldade de produzir pela agricultura, não via a possibilidade de emprego.”

Foto: reprodução

A Bahia acaba de passar Minas Gerais na produção de alimentos e figura agora como segundo produtor de frutas do país. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (21) são da Pesquisa Nacional Agrícola dos Municípios (PAM) de 2016. O estado de São Paulo continua na primeira posição. Conforme o levantamento, a região do Baixo Sul baiano é o destaque na produção no estado, com Wenceslau Guimarães, que fica na região, aparecendo entre os 20 municípios do país que mais geram renda a partir da fruticultura. Segundo o G1, a cidade saiu da 34ª posição e alcançou a 12ª posição no ranking nacional, que engloba mais de 5.563 municípios. No município, são destaques a produção de graviola e banana. Em 2016, foram produzidas 115,9 mil toneladas de banana, que geraram mais de R$ 207,9 milhões. Ainda segundo a pesquisa, a Bahia se manteve na 7ª posição no ranking nacional.

Foto: reprodução

 

A cantora Ivete Sangalo confirmou na noite desta quarta-feira (20) que não irá participar do Carnaval de Salvador realizado em 2018. Os blocos Coruja e Cerveja&Cia também não vão desfilar. "Em virtude da alegria de estar esperando duas menininhas, eu não poderei participar do Carnaval, por orientação médica e também por orientação dos meus neurônios. Seria uma grande irresponsabilidade minha, já que vou estar perto de dar a luz", explicou a cantora durante um ao vivo em seu perfil no Instagram.  Na ocasião, a baiana reforçou a ligação que tem com a folia. "O Carnaval é a menina do meus olhos, é uma das festas que me projeta para o mundo inteiro com esta música deliciosa que é o axé. Eu sou uma cantora do Carnaval, eu tenho uma relação muito forte e intensa com essa festa. É paixão total, o que me faz sentir muito por essa ausência. Mas devo confessar a vocês a alegria de estar novamente vivendo esse momento delicioso em minha vida. Além de todas as manifestações de amor que tenho recebido. Me emociona de verdade. Eu estou muito feliz e sei que quando eu tô feliz, vocês ficam felizes junto", declarou.  Ivete deu detalhes: “Eu tô grávida desde o São João e entrava no show e o povo dizia: ‘ela arrasa, ela tem uma energia maravilhosa’. E eu ficava pensando: ‘será que eu danço?’. Fiz o clipe grávida, fiz os shows de Fortaleza e da Europa grávida com aqueles maiôzinhos tudo apertado. Gente, eu estava doida para contar na hora... Mas aquelas coisas de mulher de pegar firmeza. Mas fiz tanta coisa grávida. Fiz Serginho e Bial”, explicou. A cantora disse também que vai evitar pular nos seus shows, que acontecem normalmente em 2017. “Eu não vou pular nos meus shows, viu gente? Quando eu estava grávida de um eu até pulava. Mas agora vou ficar fazendo aquelas minhas lambadas e dancinhas sensuais e vocês pulam, viu?”. Logo após o vídeo, que ficará disponível em seu perfil por 24 horas, a assessoria da cantora confirmou em nota que ela segue com agenda de shows até dezembro e que os blocos Coruja e Cerveja&Cia não desfilam em 2018. "Em breve a artista anunciará a agenda do Carnaval de 2019. Os demais shows marcados, como Salvador Fest, Carnatal, Folianópolis e Réveillon de Salvador, seguem confirmados", diz nota. Ivete Sangalo confirmou a gravidez através das redes sociais no dia 12 de setembro. Durante sua apresentação no Rock in Rio no último sábado (15), ela afirmou para o público que está esperando duas meninas.

Foto: reprodução

Arte, cultura, esporte, intervenções sociais e mostra de experimentos científicos estão entre as ações que irão marcar, nesta quinta-feira (21), a segunda edição do #Transformaê - Virada Educacional Bahia. Tanto nas escolas como nos Centros de Educação Profissional da capital e do interior, estudantes, professores, gestores e funcionários estão prontos para a apresentação dos projetos, que estão sendo desenvolvidos durante o ano letivo de 2017. Serão 12 horas de atividades simultâneas, com a integração da escola com a comunidade. O secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro, que vai acompanhar as atividades desenvolvidas pelos estudantes, fala sobre a importância da iniciativa. “Este é um momento em que a escola discute o ambiente de ensino e realiza transformações. Por isso, nessa ação, a Secretaria da Educação aproveita para apoiar e acompanhar as atividades com o objetivo de ouvir, perceber e sintonizar-se com a situação das escolas, para que trabalharemos para intensificar a melhora do eixo pedagógico, que consideramos o espírito da escola”, ressaltou. Cada unidade escolar terá uma programação específica e o tema geral será “Tomando Partido pela Escola”. Com essa temática, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia reafirma a importância da escola enquanto local da formação humana, social, política e econômica dos sujeitos da aprendizagem, favorecendo aos integrantes da comunidade escolar e local a realização de intervenções sociais no ambiente para a melhoria da convivência e da atuação de cada um dos sujeitos que compõem o universo educacional.

Foto: Annaclarice

Os ventos sopram da Bahia para o mundo. As pás da Tecsis giram atrás de novos mercados internacionais na América do Sul, Estados Unidos e Europa. Após a confirmação dos dois leilões de reserva recentemente anunciados, e também na estratégia de preços agressivos e competitivos para o mercado internacional, a empresa vê um cenário positivo à sua frente, que pode possibilitar dobrar o número de funcionários, de mil para dois, fortalecendo ainda mais a cadeia produtiva do setor de energia eólica e aumentando. em até quatro mil, o número de empregos. Instalada no ano passado, em Camaçari, a fábrica deve passar dos três para oito moldes em 2020. “Na Bahia, encontramos ambiente seguro para ampliar os negócios. Temos o apoio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado [SDE] e a boa notícia de retomada dos leilões a partir do segundo semestre deste ano, bem como nosso esforço interno de garantir, cada vez mais, preços competitivos para o mercado internacional, gera a expectativa de expansão da nossa capacidade instalada”, diz o executivo jurídico e de recursos humanos da Tecsis, Eduardo Castro. Com a ampliação da capacidade instalada de pás para geração de energia eólica, o estado dispara na capacidade de fornecer os macrocomponentes para gerar uma energia limpa e sustentável. “Desenvolvimento Econômico se faz com sustentabilidade e preocupação com o meio ambiente. Temos todos os fatores a nosso favor. Os melhores ventos constantes, sem rajadas; as melhores fábricas e os melhores trabalhadores que um estado pode ter”, explica secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner. A planta industrial com investimentos de cerca de R$ 120 milhões pode chegar a gerar até quatro mil empregos diretos, quando estiver operando com sua capacidade total, sem contar com a ampliação física das instalações (também já projetada) que poderá fazer dobrar este número de postos. A Bahia é líder no volume de projetos comercializados (31%) no País. Possui 241 projetos, destes 187 comercializados no mercado regulado e 54 projetos no mercado livre. Essa expansão eólica traz benefícios a 23 municípios, principalmente ao semiárido. O estado produz aerogeradores, como pás, nacele, hub e torre.  

Páginas