Foto: Reprodução/ Facebook
Conhecido puxador de votos pós-2002, quando chegou pela primeira vez ao Palácio do Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva reforçou, neste domingo (19), que é candidato ao cargo que o consagrou em 2018. O ato, todavia, não foi um marco apenas para Lula e Dilma Rousseff, que ironizaram a inauguração da transposição do Rio São Francisco feita por Michel Temer dias antes, na mesma Monteiro (PB). Lula levou consigo boa parte dos aliados que preferem não ser dissociados da onda vermelha, uma referência ao apogeu do PT em números de eleitos no período imediatamente posterior aos dois mandatos do petista em Brasília (DF). Nesse contexto, o governador Rui Costa, que, apesar de petista e aliado fervoroso de Lula e Dilma, mantinha certo distanciamento do turbilhão que envolve a legenda após a deflagração da Operação Lava Jato, posou para quem quisesse entender que não arreda o pé do círculo político ao qual foi moldado. Mesmo fora do estado, reforçou a imagem ao lado do ex-presidente e levou consigo parceiros de jornada, a exemplo do ex-governador Jaques Wagner e da senadora Lídice (PSB). O primeiro tem vaga garantida na chapa de reeleição de Rui, enquanto a segunda deve lutar para permanecer no Senado. O ato no sertão paraibano foi para além de simbólico, carregado de cunho político. Provou quem está disposto a permanecer com Lula para a próxima corrida eleitoral e mostrou que, ao menos na Bahia, uma parcela de aliados de Rui prefere não participar desse processo – vide as ausências de caciques de outros partidos, como o vice-governador João Leão (PP) e o senador Otto Alencar (PSD), este último conhecido defensor do Rio São Francisco.
Fotos: Camila Souza/GOVBA

Nesta quinta-feira (16) tem início a distribuição de 307 mil testes rápidos para o diagnóstico de infecção por Zika Vírus na Bahia. O dispositivo distribuído pelo Ministério da Saúde foi desenvolvido e produzido pela Bahiafarma, laboratório público do Estado da Bahia, o primeiro do País a obter registro, na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para um teste sorológico rápido de identificação da Zika. Este é o primeiro lote enviado pelo Ministério da Saúde para o Estado e corresponde a mais de 50% do total previsto para o ano de 2017. A expectativa é que, em até 15 dias, o lote esteja disponível, prioritariamente, nas maternidades e laboratórios públicos de todas as regiões da Bahia. A tecnologia do teste rápido indica, em até 20 minutos, se o paciente está infectado ou se já teve contato com o vírus da Zika em algum momento da vida. “Com o dispositivo, é possível identificar infecção recente em populações de risco, como gestantes e recém-nascidos, para prover assistência e orientações adequadas, por meio do acompanhamento de toda a gravidez e do desenvolvimento neuropsicomotor da criança”, afirma o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas. De acordo com dados da vigilância epidemiológica, em 2016 foram notificados mais de 57 mil casos de Zika na Bahia. Apenas até 21 de fevereiro deste ano, já foram registradas 469 notificações. O Ministério da Saúde adquiriu 3,5 milhões de unidades do teste, que estão sendo distribuídas para a rede pública de todo o Brasil, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

Foto: Reprodução/ A Crítica

A Indústria de Transformação na Bahia registrou queda de 6,3% em janeiro deste ano, na comparação com dezembro do ano passado. De acordo com a Federação das Indústrias do Estado da Bahia (Fieb), esta foi a segunda maior queda da produção no país. Na comparação com janeiro do ano passado, a queda foi de 15,3%. Segundo a entidade, este e outros indicadores da economia do estado mostram que a “indústria baiana vive uma grave crise”. Em 2010, o setor representava 27,1% do Produto Interno Bruto (PIB) – soma de todas as riquezas produzidas – do estado. Em 2014, este percentual foi reduzido para 21%. “Esse processo acelerado de enfraquecimento da base industrial é prejudicial para toda a economia baiana, pois a indústria é o setor mais dinâmico da economia, responsável por induzir pesquisas, inovação e soluções tecnológicas”, afirma a Fieb.

Lançado em dezembro do ano passado, o Programa Identidade Jovem (ID Jovem) contempla, atualmente, pouco mais de 36 mil dos 16,3 milhões de brasileiros aptos a ter acesso aos benefícios. O Programa assegura 50% de desconto no valor dos ingressos para eventos culturais e esportivos e garante gratuidade no transporte coletivo interestadual – são duas vagas por veículo e, depois de esgotadas, mais duas são reservadas por metade do valor da passagem. Os benefícios são destinados a jovens entre 15 e 29 anos, pertencentes à família com renda mensal de até dois salários mínimos e inscritos no Cadastro Único do Governo Federal há, pelo menos, dois anos. Do total de cadastrados, 29 mil são das regiões Sudeste e Nordeste. Os dados são da Secretaria Nacional da Juventude. A adesão ao ID Jovem é via inscrição online, no site da Caixa Econômica Federal ou por aplicativo para Smartphone, disponível para Android, IOS e Windows Phone. O benefício é válido, também, para não estudantes. “Essa Lei é pouco difundida entre os jovens. Precisamos potencializar esses benefícios, que ampliam a mobilidade, facilitando as viagens para àqueles jovens cujas famílias residem em outro estado, por exemplo. E ainda promovem o esporte e a cultura, permitindo novas vivências para a juventude”, destacou o coordenador de Políticas para a Juventude da SJDHDS, Jabes Soares.
Foto: Divulgação

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) publicou nesta terça-feira (14), no Diário Oficial do Estado da Bahia, o edital de abertura de concurso público para 600 vagas nos níveis médio, técnico e superior. As vagas são destinadas a 64 municípios, contemplando unidades da Embasa em Salvador, região metropolitana e Interior. Os salários variam de R$ 1.122,84 a R$ 6.793,31, veja edital. As vagas de nível superior são oferecidas aos profissionais com formação em ciências contábeis, análise de sistemas, processamento de dados, ciência da computação, engenharia de computação ou sistemas de informação, engenharia civil ou engenharia de produção civil, engenharia sanitária ou engenharia sanitária e ambiental, e engenharia elétrica. 

 

Páginas