Foto: Ricardo Duarte/Internacional

 

O Bahia vai anunciar nos próximos dias seu segundo reforço para a disputa do Campeonato Brasileiro. A direção tricolor acertou a contratação  por empréstimo do meia-atacante Gustavo Ferrareis, do Internacional. Ele nem foi treinar nesta quinta-feira (25), em Porto Alegre, e tem chegada prevista a Salvador ainda esta semana para passar por exames médicos e assinar contrato. Aos 21 anos, Gustavo Ferrareis é cria das categorias de base do Inter. Foi lançado no time profissional em 2015 e atuou como titular durante boa parte da temporada passada - disputou 24 partidas e fez dois gols na Série A 2016, quando o Inter acabou rebaixado. Este ano, Ferrareis perdeu espaço no time do técnico Antônio Carlos Zago e fez apenas três jogos com a camisa do colorado. Ao todo, são 38 jogos e três gols na carreira como profissional. Em entrevista recente, o presidente do Bahia, Marcelo Sant'Ana, afirmou que tem como prioridade reforçar o meio-campo e ataque para a sequência da temporada. Até o momento, o Bahia apresentou apenas o goleiro Rafael Santos, que disputou o Campeonato Carioca pelo Madureira.  
 

Foto da professora Emanuelle: Divulgação

Como parte da política de valorização dos profissionais da Educação, a Secretaria da Educação do Estado da Bahia divulgou, nesta quinta-feira (25), a progressão funcional por avanço vertical para 1.635 professores e coordenadores pedagógicos dos Ensinos Fundamental e Médio, da carreira do magistério estadual. A ação é resultado de cursos de pós-graduação realizados pelos educadores, sendo 1.189 por especialização, 404 por mestrado e 42 por conclusão de cursos de doutorado. Estes educadores já receberão na folha de pagamento do mês de junho, retroativo a 1º de maio. “A progressão funcional por avanço vertical traz um ganho salarial para os professores e coordenadores pedagógicos, mas, principalmente, deve resultar na qualidade da Educação, tendo em vista que estes profissionais desenvolvem pesquisas e ampliaram seus conhecimentos durante suas pós-graduações. Portanto, é mais um reconhecimento do Estado pelo aperfeiçoamento profissional dos educadores e, com isso, os estudantes também serão beneficiados”, afirma o secretário da Educação do Estado, Walter Pinheiro. A professora Emanuelle Santos de Carvalho Cardoso, do Colégio Estadual Inácio Tosta Filho, em Itabuna, região Sul da Bahia (436 km de Salvador) foi uma das beneficiadas com a progressão funcional. Lecionando há 10 anos, ela destaca a importância deste benefício para a sua carreira no magistério estadual. “A progressão representa, para mim, o reconhecimento do esforço, da dedicação e da determinação do professor, que sai da zona de conforto e busca ampliar seus conhecimentos para ter uma base mais sólida para lidar com os alunos, que, hoje, com acesso a tanta informação, trazem questionamentos que exigem mais desse professor. Para mim é uma dose a mais de incentivo para continuar me aperfeiçoando profissionalmente”, comemora. Com esta progressão, um professor da rede estadual com carga horária de 40 horas, terá uma remuneração inicial de R$ 3.332,05, com mestrado de R$ 3.971,31 e com doutorado de R$ 4.725,86.   

foto: reprodução

Por Jairo Costa Júnior, com Luan Santos,

O deputado estadual Soldado Prisco (PPS) venceu mais um round contra o governo na disputa judicial para retornar à PM. Em sentença publicada no último dia 15, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o terceiro recurso apresentado à Corte pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE) e manteve a decisão que obriga o governo a readmitir Prisco aos quadros da corporação. Moraes também criticou, em seu despacho, manobras jurídicas usadas pela PGE com intuito de protelar a reintegração do parlamentar, determinada desde 2012 pelo STF. O ministro lembrou ainda que o deputado foi inocentado, em todas as instâncias, da acusação de panfletagem. A prática, vedada aos militares, baseou a demissão de Prisco em 2002, no rastro da primeira greve da PM baiana. Em 2014, ele foi preso por suspeita de atentar contra a ordem pública.

Foto: reprodução

Com informações da Tribuna Feirense, 

Durante a apresentação de domingo (21) na Micareta de Feira, Igor Kannário parou de cantar para repreender a ação de uma policial. O cantor teria a acusado de agredir foliões durante a festa e dito que é ‘mais autoridade’ que um policial por ser vereador. A ação teria sido vista como desacato pelo coronel do Comando de Policiamento Regional Leste (CPRL), Adelmário Xavier.. Ele declarou ao Acorda Cidade que o artista deveria ter recebido uma resposta rígida da Polícia Militar. “Se eu chego perto dele, o procedimento normal era deixar terminar a apresentação e conduzi-lo à delegacia. Se eu chego na hora iria arrancá-lo do trio e, caso fosse eu, iria fazê-lo engolir aquele microfone para ele aprender a respeitar as pessoas e a Polícia Militar da Bahia”, disse o coronel.  No instagram, a assessoria de Kannário relatou que o artista ficou “abismado” com a ação da polícia de Feira e que pedirá uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Salvador para que o comandante-geral da Polícia Militar, Coronel Anselmo Alves Brandão esclareça os fatos e as providências que serão tomadas. Em nota, o cantor informou que vai entregar uma representação ao Procurador Geral do Ministério Público do Estado da Bahia e à Corregedoria da Polícia Militar para que os órgãos “apurem a violência praticada”. Em resposta, a Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que vai investigar os supostos excessos cometidos na festa e que estão abertos para receber qualquer tipo de denúncia de abuso policial. Entretanto, a SSP repreendeu a atitude de Kannário, pois ele teria tentado “levantar e instigar uma disputa de poderes em um evento público, inclusive desqualificando a centenária e respeitosa Polícia Militar”, e que isso não são condutas esperadas de um artista e membro do legislativo. O órgão explicou ainda que tomará as providências judiciais cabíveis caso fique comprovado que a denúncia de Kannário foi uma forma de realizar desacato.

Foto: reprodução

A menos de uma semana do fim da Campanha de Vacinação contra Gripe, a Bahia vacinou apenas 53,71% do público-alvo. De acordo com dados divulgados pelo Ministério da Saúde nesta segunda-feira (22), aproximadamente 1,7 milhão de baianos foram imunizados. O público-alvo no estado inclui cerca de 3,3 milhões de idosos a partir de 60 anos, crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, puérperas, trabalhadores de saúde, grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis, adolescentes e jovens de 12 a 21 anos sob medidas sócioeducativas, população privada de liberdade e funcionários do sistema prisional. A campanha será encerrada nesta sexta-feira (26) e tem o objetivo de imunizar 90% do público indicado.

 

Páginas