MP-BA recomenda anulação de correção das provas objetivas do concurso da Polícia Civil

MP-BA recomenda anulação de correção das provas objetivas do concurso da Polícia Civil

O concurso da Polícia Civil da Bahia (PC-BA), que apresentou diversas suspeitas de irregularidades, segue na mira do Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA). Na segunda-feira (18), o promotor Adriano Marcus Brito de Assis fez recomendações ao secretário de Administração do Estado, Edelvino Góes, e ao delegado geral da Polícia Civil da Bahia, Bernardino Brito Filho. O Ministério Público já investigava o certame por denúncias de fraude. Agora, diversos candidatos enviaram representações ao órgão questionando a conduta da Vestibular da Universidade Estadual Paulista (Vunesp) em atribuir peso às questões. O edital de abertura dá a entender que a prova objetiva valeria 100 pontos no total, já considerando tanto as questões de conhecimentos gerais quanto específicos. Além disso, foi estabelecido que, para ser considerado aprovado nesta etapa, era necessário alcançar 70 pontos. O entendimento principal é que era preciso acertar 70 das 100 questões da prova, mas os candidatos foram surpreendidos com o resultado preliminar da prova, divulgado em 25 de maio, no site da Vunesp, quando a avaliação totalizou 200 pontos. Assim, as 30 questões de Conhecimentos Gerais totalizaram peso de 3,33 pontos cada uma. Enquanto as 70 questões de Conhecimentos Específicos registraram peso de 1,43 por questão. Diante da situação, o promotor indicou que o titular da Saeb e o delegado geral “se abstenham de praticar qualquer outro ato de prosseguimento do aludido certame seletivo”, realizado pela Fundação para o Vunesp. Além disso, Adriano Brito sugeriu que “anulem a correção das provas objetivas, refazendo-a segundo o molde “previsto no edital e adotado ordinariamente pelo Estado da Bahia em outros concursos públicos, qual seja, de correção das provas de conhecimentos gerais e de conhecimentos específicos mediante a aplicação de 100 (cem) pontos para o total das 100 (cem) questões aplicadas nos exames”.