Neymar supera Garrincha, Romário e Zico e entra para a história

Neymar supera Garrincha, Romário e Zico e entra para a história
Foto: MANAN VATSYAYANA/AFP

Por Correio 24 horas, 

Neymar não é unanimidade entre os torcedores brasileiros. Amado por uns e odiado por outros, muito por conta do seu jeito irreverente, o atacante entrou para o time dos 10 maiores artilheiros da história da Seleção Brasileira em Copas do Mundo, após marcar um gol na vitória de 2x0 contra o México, pelas oitavas de final do Mundial da Rússia.  Tem que respeitar a história do menino Ney, que já não é mais tão menino assim. Aos 26 anos, o jogador superou Garrincha, Zico e Romário em número de gols marcados com a amarelinha - eles têm cinco, cada - e se igualou a outros dois nomes históricos no sexto lugar da lista de maiores artilheiros da Seleção em Mundiais: Rivellino e Bebeto. O diferencial é que a dupla precisou de três Copas para atingir o número de seis gols em mundiais, enquanto Neymar fez isso enquanto ainda disputa o torneio pela segunda vez na carreira. A lista é liderada por Ronaldo Fenômeno, que soma 15 gols feitos ao longo de quatro edições de Copas do Mundo, embora só tenha jogado em três (1998, 2002 e 2006). À frente de Neymar, a história da Seleção ainda tem Pelé, com 12 gols, Jairzinho, Vavá e Ademir de Menezes, todos com nove, Rivaldo e Leônidas da Silva, que fizeram oito, e Careca, com sete. Neymar marcou seu primeiro gol em Copas logo na sua estreia, em 2014, quando o Brasil fez seu primeiro jogo do Mundial e venceu a Croácia por 3x1. Foram dois gols de Ney. Depois, fez mais dois na goleada por 4x1 diante de Camarões, ainda pela fase de grupos. Neymar só voltou a marcar em Copas em 2018. Fez um na vitória por 2x0 sobre a Costa Rica, pela fase de grupos, e outro contra o México, na quarta-feira (2).