Qual será o tema da redação do Enem 2018? Professores sugerem possíveis opções

Qual será o tema da redação do Enem 2018? Professores sugerem possíveis opções
Foto: Divulgação

Mais de 5 milhões de estudantes estão inscritos para realizar as provas do Enem deste ano, que serão aplicadas nos dias 4 e 11 de novembro. Já no primeiro dia serão realizadas as provas de linguagens e ciências humanas, além da redação. Pensando nisso, conversamos com alguns professores de Salvador em busca dos possíveis temas que poderão ser cobrados na redação deste ano. Dentre os docentes, os temas fake news e refugiados da Venezuela foram os mais citados. O tema fake News, amplamente discutido este ano, tem grandes chances de ser cobrado na redação deste ano. O tema foi bastante discutido neste ano, inclusive a interferência do assunto sobre as eleições. Por conta disso, a professora de Redação Michele Gomes acredita que este será o tema da redação do Enem deste ano: “Acredito que o tema deste ano será algo como “O impacto das fake news na sociedade”, devido às notícias e casos sobre o assunto”, afirma. O diretor e professor de artes Flavio Augusto, aposta no tema dos refugiados: “É um tema da atualidade. Pelas experiencias que a gente tem, sempre são temas sociais e ligados ao momento”, afirma Luiz. Ele afirmou ainda que o exame pode cobrar a polarização política em alguma questão, mas tem ressalvas: “É muito delicado e poderia ser levado para o lado político-partidário, então acredito que seria mesmo um tema mais genérico, mundial”. Outro assunto que pode ser cobrado no exame deste ano é a volta da direita no mundo, como afirma o professor de História Rui Videro: “É um tema atual que vem invadindo a Europa já há uns 5, 6 anos. E tem ainda a eleição de Trump, que pode ser questionada também.”  O professor de Português, Jenner Freire, acredita que a homofobia será o tema deste ano: “Alguns temas podem estar na redação do Enem deste ano, mas acredito que este é passível de ser tratado, em decorrência das tantas polêmicas que vem acontecendo nos últimos meses sobre o assunto”, afirma. Ele sugere ainda que o exame possa servir para aferir a opinião dos estudantes sobre outro tema: “a questão da reforma da previdência, que talvez eles queiram saber as opiniões antes do próximo governo”, conta. Samuel Moreira, professor de Geografia, tem um leque de sugestões de temas que poderão cair na prova este ano: “Eu acredito que questões ambientais podem ser cobradas. Falta de políticas de sustentabilidade nas cidades. O problema da seca, também. Questões políticas, como a ligação entre a política e a violência. A questão das armas, a maioridade penal”, sugere. Entre as opções, Samuel também sugere que a questão dos refugiados pode ser cobrada na prova: “Pessoas que saem dos seus países, por guerra ou política. Os venezuelanos e o pessoal do oriente médio, de onde muitos fogem por estes motivos. Pode ser cobrado sobre o tratamento que é dado à este pessoal, como se fossem bandidos, ou aceitar para eles recomeçarem suas vidas”, conta o professor. Vale lembrar que, mesmo que estes assuntos não sejam o tema da redação, há chances que sejam cobrados em demais questões do exame. No primeiro dia serão realizadas as provas de linguagens (45 questões), ciências humanas (45 questões) e a redação. No segundo dia serão realizadas as provas de ciências da natureza (45 questões) e matemática (45 questões). Nos dois dias os portões serão abertos às 12h (11h na Bahia) e fechados às 13h (12h na Bahia).