Veja dicas de prevenção contra a gripe H1N1

Veja dicas de prevenção contra a gripe H1N1
Foto: reprodução

Confira esta dica de saúde relacionada à gripe H1N1. Mais do que informar a respeito de sintomas, formas de transmissão e causas da doença, a ação tem como objetivo principal estimular ações de prevenção, que vão além de manter o calendário vacinal em dia. Como a transmissão da H1N1 ocorre da mesma forma que na gripe comum, o melhor a fazer para evitar a contaminação é higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel ao longo do dia, evitar a aglomeração de pessoas, principalmente em ambientes fechados; não compartilhar copos, garrafas, talheres, toalhas e outros objetos pessoais; evitar tocar olhos, nariz ou bocas sem lavar as mãos e usar máscaras quando houver sintomas de gripe (febre acima de 38º, tosse ou dor de garganta, por exemplo). Além de adotar esses cuidados, o grupo de risco da doença deve participar da campanha de vacinação realizada pela rede pública de saúde até o dia 1º de junho. A vacina gratuita contra a gripe está disponível para aqueles com maior risco de consequências graves à infecção, ou seja, idosos acima de 60 anos; crianças de seis meses a cinco anos; gestantes; mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias; trabalhadores de saúde; professores; indígenas e pessoas privadas de liberdade. Diferentemente de outras imunizações, a vacina contra a gripe é sazonal. Ela não está disponível nos postos de saúde o ano inteiro e há um período específico em que ela deve ser tomada. Todos os anos, o Ministério da Saúde começa a campanha um pouco antes do inverno, quando há maior circulação do influenza, o vírus causador da gripe. O Ministério da Saúde realizará um dia D da campanha no dia 12 de maio, um sábado. Sobre a doença - A H1N1 é uma infecção viral aguda do sistema respiratório, de elevada transmissibilidade. A infecção geralmente é autolimitada, mas pode apresentar-se de forma grave. O causador da doença é um vírus subtipo de influenza A, resultado da combinação de segmentos genéticos dos vírus das gripes humana, aviária e suína. Todos os sintomas da gripe comum no H1N1 ficam mais fortes, mas falta de ar e dor no tórax são mais frequentes nas infecções causadas por este novo vírus. Os sinais comuns a ambas são conhecidos pela maioria da população: febre, dor de cabeça, calafrios, coriza, dor de garganta, vermelhidão nos olhos e, às vezes, diarréia e vômito. O tratamento da forma mais grave da doença é feito com o antiviral fosfato de oseltamivir (Tamiflu), que só está sendo administrado em ambiente hospitalar e é fornecido pelo Ministério da Saúde. Apenas os pacientes com agravamento do estado de saúde nas primeiras 48 horas, desde o início dos sintomas, e as pessoas com maior risco de apresentar quadro clínico grave têm recebido este medicamento. Os demais têm os sintomas tratados de acordo com indicação médica a fim de evitar o uso desnecessário e uma possível resistência ao medicamento, como já foi registrado em países como Reino Unido, Japão e Hong Kong. Qualquer medicação só deve ser tomada sob a devida orientação médica. Mais informações estão disponíveis no site www.planserv.ba.gov.br e no novo aplicativo do Planserv, que pode ser baixado na loja virtual Google Play, para telefones com sistema Android, e App Store, para quem utilizaiPhones.