Foto: reprodução / Arquivo Familiar

O garoto de apenas 3 anos de idade que foi atingido por um ônibus escolar na comunidade de Gameleirinha morreu na tarde desta terça-feira (20) na cidade de Vitória da Conquista onde o menino estava internado na UTI. O acidente aconteceu na manhã da última segunda-feira (18) na Fazenda Gameleira em Itaquarai. Segundo informações, um menino de 3 anos e seis meses de idade foi atropelado por um ônibus escolar. Ainda segundo quem presenciou o caso a baixa estatura da criança pode ter dificultado a visão do motorista que saiu com o veículo antes do menino embarcar no coletivo. A equipe do Se liga Brumado se solidariza com os familiares do garotinho. 

Foto: reprodução / APLB

O Presidente Bolsonaro entregou hoje (20/02/2019) ao Congresso, o seu projeto de revisão da Previdência, que impõe 65 anos para aposentadoria de trabalhadores e 62 para trabalhadoras. A alegação, a exemplo do que disse o seu antecessor Temer, é superar o déficit. Em Brumado, atendendo a convocação das centrais sindicais, a APLB-Sindicato respaldada por trabalhadores em Educação das redes estadual e municipal, realizou um ato público em frente à agência do INSS, para protestar contra o projeto.

Foto: Divulgação

Em constante avanço a 34ª CIPM disponibiliza número para denúncias via WhatsApp e garante sigilo absoluto. A população pode realizar denúncias utilizando o aplicativo atráves do número; (77) 9.9974-4364. 

Foto: reprodução

Por Wellton Máximo e Kelly Oliveira – Repórteres da Agência Brasil,

A proposta de reforma da Previdência entregue hoje (20) ao Congresso Nacional gerará economia de R$ 1,165 trilhão em 10 anos, informou há pouco, em Brasília, o Ministério da Economia. Somente nos quatro primeiros anos, o governo deixará de gastar R$ 189 bilhões, caso o texto seja aprovado conforme a versão original.  Segundo o ministério, a União economizará R$ 715 bilhões nos próximos 10 anos com as mudanças na Previdência dos trabalhadores da iniciativa privada. Com a Previdência dos servidores públicos federais, a economia está estimada em R$ 173,5 bilhões. O aumento na alíquota de contribuição dos servidores federais causará economia adicional de R$ 29,3 bilhões. As mudanças no Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a restrição do abono salarial para quem ganha até um salário mínimo acarretarão economia de R$ 182,2 bilhões. Em compensação, a redução parcial nas alíquotas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para algumas faixas de renda provocará gasto de R$ 27,6 bilhões. Ao descontar das economias o efeito da mudança das alíquotas, a economia final corresponderá a R$ 1,165 trilhão. A proposta de reforma da Previdência será detalhada daqui a pouco por técnicos do Ministério da Economia.

Foto: Marcelo Camargo/ Agência Brasil

por Thiago Resende e Bernardo Caram | Folhapress,

O secretário-adjunto de Previdência, Leonardo Rolim, afirmou que as regras propostas para aposentadorias de servidores públicos da União também valem para funcionários públicos dos estados, municípios e Distrito Federal. A proposta de reforma da Previdência prevê que idade mínima de 65 anos (homens) e 62 anos (mulheres) e 25 anos de contribuição previdenciária para servidores públicos. Os detalhes da proposta estão sendo anunciados pela equipe econômica em Brasília nesta quarta-feira (20). Além disso, Rolim informou que os servidores de estados, municípios e o Distrito Federal que registram déficit financeiro e atuarial no sistema de aposentadoria terão que pagar, pelo menos, 14% de alíquota previdenciária.  Essa elevação de alíquota é automática após aprovação do texto pelo Congresso. Os estados, municípios e o Distrito Federal poderão alterar esse percentual em até 180 dias se comprovar que consegue equilibrar as contas com uma alíquota menor, por exemplo. A alíquota pode ser maior que 14% também. Depois desse prazo, se nada for aprovado, a alíquota ficará mantida em 14%. A proposta do governo também prevê limitar a incorporação de gratificações aos benefícios de aposentadorias e pensões. Também passa a ser obrigatório que estados, municípios e o Distrito Federal criem um sistema de previdência complementar para os servidores. O prazo é de dois anos. Além da Proposta de Emenda à Constituição (PEC), o governo ainda vai enviar um projeto de lei para que policiais militares e bombeiros tenham as mesas regras de aposentadoria que as Forças Armadas. A proposta para o regime previdenciário das Forças Armadas será enviada em 30 dias e deve prever o aumento do tempo mínimo de serviço. O governo prevê ainda que militares na reserva possam trabalhar em atividades civis.

Páginas