Foto: Se liga Brumado / ilustração

A Câmara dos Deputados aprovou hoje (6) o aumento da pena para motoristas sob efeito de álcool ou drogas que provocar acidente com morte. Pelo texto, a punição para o crime será de reclusão de cinco a oito anos. O Projeto de Lei 5568/13, de autoria da deputada Keiko Ota (PSB-SP), já passou pelo Senado e agora segue para sanção presidencial. O texto original da Câmara, aprovado em setembro de 2015, estabelecia pena de detenção de dois a quatro anos. Com o prazo alterado pelo Senado, a matéria precisou retornar para votação pelos deputados. A atual penalidade administrativa de suspensão ou proibição de se obter a permissão ou a habilitação para dirigir veículo automotor continua valendo. No plenário, os deputados rejeitaram duas alterações ao texto feitas pelo Senado, uma delas a que acabava com o limite máximo de álcool a partir do qual o condutor flagrado pode ser condenado a pena de detenção de seis meses a três anos, multa e suspensão da carteira ou proibição de obtê-la. Atualmente, é prevista pena para o condutor flagrado dirigindo com concentração igual ou superior a 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou igual ou superior a 0,3 miligrama de álcool por litro de ar nos pulmões. As novas regras entrarão em vigor após 120 dias da publicação da lei.

Foto: reprodução / Yahoo Esportes

O Flamengo foi derrotado por 2x1 pelo Independiente, ontem (6), em Buenos Aires, na primeira partida da decisão da Sul-Americana. O time argentino foi superior tecnicamente, principalmente no primeiro tempo. Mas foi o Flamengo quem marcou primeiro, aos 10 minutos da etapa inicial, por meio de Réver, de cabeça. Agora, os dois times vão para a grande final na próxima quarta-feira (13), no Maracanã. Os zagueiros Juan e Réver disseram, após o jogo, que "o placar é reversível". Na final da Sul-Americana não é usado o critério de gols fora de casa. Assim, qualquer vitória do Flamengo no confronto de volta por um gol de diferença leva a decisão para prorrogação e pênaltis. O Independiente será campeão em caso de empate ou vitória. Se o Flamengo vencer por mais de um gol de diferença será o campeão. Mais de 60 mil ingressos para a final de quarta-feira já foram vendidos. As informações são da Agência Brasil.

Fabio Rodrigues Pozzebom

Por Luciano Nascimento - Repórter da Agência Brasil,

As chuvas de dezembro podem representar um pequeno alívio para a situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas do país. A expectativa de melhora, que difere pouco da estimativa de novembro, foi divulgada hoje (6) pelo Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), que voltou a descartar o risco de déficit de energia para dezembro de 2017. A exceção da previsão favorável é a Região Norte, que deve ter redução da energia armazenada. De acordo com o comitê, a energia armazenada no final do mês de novembro nos subsistemas do país chegou a 18,7% (Sudeste/Centro-Oeste), 60% (Sul), 5,5% (Nordeste) e 16,1% (Norte) com relação à capacidade ideal dos reservatórios. Já para dezembro, os valores esperados de armazenamento, até o final do mês, são 24,3% (Sudeste/Centro-Oeste), 60,1% (Sul), 13,9% (Nordeste) e 12,0% (Norte).  Devido à previsão de queda nos reservatórios do Norte e para manter o suprimento de energia para o sistema de Manaus, o comitê decidiu manter, no ano de 2018, a geração de energia por meio das termoelétricas de Flores, com capacidade de geração de 80 megawatts (MW), e Iranduba, com 25 MW. O comitê destacou que “está garantido o suprimento eletroenergético do Sistema Interligado Nacional (SIN), despachando o parque térmico conforme ordem de mérito de custo” e que vai continuar monitorando a situação das bacias das usinas hidrelétricas. Isto significa que o governo está garantindo o abastecimento do sistema energético com o uso adicional de termoelétricas mais baratas.  De acordo com a nota, em novembro, as precipitações apresentaram grande variabilidade espacial, com registros de “volumes próximos, em geral, às médias climatológicas de cada bacia.” Já as bacias dos rios São Francisco, Grande, Tietê e Uruguai apresentaram variações negativas. O comitê informou ainda que as bacias dos rios Grande, Paranaíba, São Francisco e Tocantins, que juntos concentram cerca de 80% da capacidade de armazenamento do SIN, “se configuraram com o 4º pior, 2º pior, o pior e 3º pior valor do histórico no período de janeiro a novembro”. A situação da capacidade das bacias, nos primeiros dias de dezembro, melhoraram para os rios Grande e Paranaíba (respectivamente, o 28º pior e 42º pior valor histórico), mas não para o São Francisco e Tocantins (pior e 3º pior valor no período), diz o comitê. A tendência é de concentração das chuvas, nos próximos dias, com maior volume nas bacias dos rios São Francisco e Tocantins. Ainda segundo a nota, já é possível classificar a situação atual como La Niña, e a previsão é que o fenômeno permaneça durante os primeiros meses do verão, com intensidade de fraca a moderada. De acordo com as análises, em razão das temperaturas dos oceanos Pacífico e Atlântico, há uma maior probabilidade das chuvas dos próximos três meses ocorrerem “na categoria abaixo da faixa normal climatológica numa ampla área que inclui parte das regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.” A operação na bacia do Rio São Francisco continua com restrições, com manutenção da vazão mínima dos reservatórios, “com vistas à preservação dos estoques armazenados.” O CMSE disse esperar que, com a medida, será possível manter todas as usinas hidrelétricas acima de seus armazenamentos mínimos operacionais até o final do ano. “A expectativa de armazenamento ao final do mês de dezembro é de 18,9% na UHE [Usina Hidrelétrica] Três Marias e de 10,6% na UHE Sobradinho”, diz a nota.

Foto: Reprodução / Ego

O cantor Naldo Benny foi preso em casa, no Rio de Janeiro, nesta quarta-feira (6), por agredir a mulher, Ellen Cardoso, a Mulher Moranguinho. Ela denunciou o cantor no último sábado (2). De acordo com o Extra, o cantor a atacou com socos, tapas e puxões de cabelo após uma discussão por ciúmes. Ellen já passou por exame de corpo de delito. Nesta terça-feira (5), a Delegacia de Atendimento a Mulher (DEAM) realizou buscas na casa do casal e encontrou uma arma calibre 7,65 sem registro e munição. Ainda segundo a nota, ele disse que só falaria em juízo. "A esposa veio na delegacia e comunicou ter sido vítima de lesão, injúria e ameaça, e verificamos a possibilidade dele ter uma arma não registrada. No mandado de busca, constatamos que ele tinha uma pistola em casa sem registro. Ele foi preso em casa e não esperava. Foi uma discussão por ciúmes em que ele acabou por agredi-la", falou a delegada titular da DEAM, Viviane Costa. Ellen deixou a residência e entrou com pedido de medida protetiva. Já o funkeiro irá responder por lesão corporal, ameaça e injúria e, se condenado, pode pegar até sete anos de prisão. O ex-casal tem uma filha de 2 anos e nove meses. Naldo e Moranguinho começaram a se relacionar em 2010, durante as gravações do clipe da música "Chantilly". O casal subiu ao altar em 2013. As informações são do Bahia Notícia.

Foto: reprodução

De janeiro a novembro deste ano, a produção de veículos no país aumentou 27,1%, totalizando 2,485 milhões de unidades. Na comparação de novembro com o mesmo mês do ano passado, a produção cresceu 15,2%, ao passar de 216,3 mil para 249.089 mil unidades. Na comparação mês a mês (novembro com outubro), houve queda de 0,3%. “Ainda temos capacidade ociosa importante na ordem de 45%, que começa a se reduzir, mas ainda está alta, principalmente no setor de caminhões, 75%”, disse o presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Antonio Megale. Ao divulgar os dados nesta quarta-feira (6), na capital paulista, Megale informou que as vendas internas de novembro foram 0,7% superiores às de outubro, chegando a 204,2 mil unidades. No acumulado do ano, o total licenciado chegou a 2,027 milhões, número 9,8% maior do que o de igual período do ano passado. Na comparação com o mesmo mês de 2016, houve aumento de 14,6%. Segundo Megale, pela primeira vez no ano, foram licenciadas mais de 10 mil unidades por dia. “Este é o melhor número desde 2014, e nos dá uma confiança maior. Começamos o ano com 6.600 unidades em janeiro.” Já as vendas de máquinas agrícolas e implementos rodoviários caíram 21,4% nos meses de outubro e novembro,. Em relação a novembro do ano passado, houve queda de 14,9%. No acumulado do ano, o resultado foi no sentido contrário, com elevação de 2,6%. A venda de veículos para o exterior aumentou 18,7% em novembro, na comparação com outubro, passando de 73 mil unidades. Em relação a novembro do ano passado, as exportações aumentaram 28,8% e, no acumulado do ano, 53,3%, alcançando 700,893 mil unidades. “Foi um mês excepcional: 73 mil é um número de recorde histórico para o mês. O acumulado de mais de 700 mil também é uma excelente notícia e outro recorde. Mostra o esforço feito pelas empresas, a melhoria na questão cambial e a evolução tecnológica dos produtos”, afirmou Megale. Segundo a Anfavea, o emprego no setor ficou estável em novembro, com queda de 0,3%, na comparação com outubro. Em relação a novembro do ano passado, houve alta de 2,5%. De acordo com a Anfavea, foram "pequenas variações" normais. "Mês passados, tinhamos 3.528 pessoas em lay-off e PSE [Programa Seguro-Emprego] e neste mês temos 3.332. Não abrimos, nem fechamos postos de trabalho. Em março de 2016, tínhamos mais de 38 mil pessoas em lay-off ou PSE, ou seja colocamos 35 mil pessoas de volta ao trabalho”, concluiu a associação.

Páginas