Foto: reprodução

Um grupo de hackers ameaça apagar os dados de mais de 300 milhões de dispositivos da Apple, a menos que a empresa pague um resgate, segundo informa o portal de notícias Motherboard. Os hackers, identificados como "Turkish Crime Family" (Família do Crime Turca), exigiram que a Apple pague US$ 75.000 em criptomoedas ou US$ 100.000 em cartões-presente do iTunes até o dia 7 de abril. Caso contrário, eles prometem resetar remotamente 300 milhões de contas de e-mail da companhia norte-americana.  "Eu só quero o meu dinheiro e pensei que este seria um relato interessante que um monte de clientes da Apple estaria interessado em ler e ouvir", disse um dos hackers ao portal de mídia. Os hackers forneceram ao Motherboard screenshots de e-mails que eles supostamente trocaram com o serviço de segurança da Apple. O grupo também fez upload de um vídeo no YouTube demonstrando o acesso a uma das supostas contas hackeadas. (Sputnik)

Foto: reprodução

Encerra no dia 31 de março, o prazo para os agricultores familiares quitarem o boleto de adesão ao Garantia-Safra 2016/2017. O valor da adesão é de apenas R$ 8,50. O documento pode ser retirado nos Serviços Territoriais de Apoio à Agricultura Familiar (SETAFs), unidades da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), nos Territórios de Identidade da Bahia, nas secretarias de Agricultura dos municípios ou Sindicatos de Trabalhadores Rurais. Na Bahia, desde 2009, o Governo do Estado paga, além do aporte estadual, 50% dos valores devidos aos municípios e às contribuições dos agricultores familiares. Os beneficiários do programa são os agricultores familiares que plantam até cinco hectares das culturas de feijão, arroz, milho e mandioca, que possuem a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) e renda de até 1,5 salário mínimo mensal. Na safra 2015/2016, quando participaram 238 municípios, a contribuição do agricultor foi de 2% do valor do benefício (R$ 17), o município contribuiu com 6% (R$ 51,00 por agricultor); o Estado com 12% (R$ 102) e a União com 40 % (R$ 340). O valor do Garantia-Safra é de R$ 850 por agricultor, divididos em cinco parcelas de R$ 170. O benefício é pago com recursos do Fundo Garantia-Safra, composto por contribuições do agricultor, município, Estado e União. A ação é executada pela Superintendência de Agricultura Familiar (Suaf), que recebeu, até o momento, quase 100 mil DAPs. O Garantia Safra é uma ação do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) para agricultores que se encontram em municípios sujeitos a perdas de safra devido à seca ou ao excesso de chuvas.

 Como aderir?

O município deve assinar o Termo de Adesão com o governo estadual e definir a quantidade de agricultores que irão participar em sua jurisdição. Depois da adesão dos municípios, os agricultores podem realizar suas inscrições retirando os boletos nos SETAFs, secretarias municipais de Agricultura e Sindicatos de Trabalhadores Rurais. O pagamento do boleto deve ser feito em uma agência da Caixa Econômica Federal ou correspondente bancário, dentro do prazo definido para o seu município. A adesão deve ser realizada antes do plantio. As inscrições que atenderem aos critérios exigidos pelo programa são homologas pelos Conselhos Municipais de Desenvolvimento Sustentável (CMDS).

Foto: reprodução

A Anvisa interditou o lote 0027 do Doce de Amendoim Paçoca Rolha, da marca Dicel, nesta segunda-feira (20). O lote do alimento, distribuído pela Indústria e Logistica Wethonklauss Constante Ltda, excedeu o limite do teor de aflatoxinas, espécies de micotoxinas encontradas em alimentos. De acordo com relatório do Laboratório de Análise Micotoxicológicas (LAMIC - Santa Maria/RS), foi detectado teores de aflatoxinas acima do Limite Máximo Tolerado (LMT) permitidos para amendoim com casca, descascado, cru ou tostado, pasta de amendoim ou manteiga de amendoim. Aflatoxinas são substâncias tóxicas e carcinogênicas, e, por isso, produtos fora da especificação não podem ser consumidos pela população. A interdição cautelar vale para todo o território nacional e se aplica ao lote 0027 do Doce de Amendoim Paçoca Rolha, marca Dicel, data de fabricação 18/11/2016, data de validade 18/11/2017. (Portal Anvisa

Beá Fest

 O evento que acontecerá no dia 15 de abril é um dos mais comentados e aguardados pelo público de Malhada de Pedras e região. A 6º edição do Beá Fest acontecerá na Praça da Bandeira e, promete ser recorde de Público, um vez que reúne nesta edição - mega estrutura, apresentações musicais de qualidade e bandas que tocam os hits do momento. O evento será animado pela banda que está fazendo sucesso em todo Brasil, com um show inovador e animado, as meninas do Boteco das Amigas prometem balançar os foliões. Além disso, o evento conta também com a banda Som da Play e paredão na área interna. Os ingressos que estão com preço promocional até hoje (20) estão a venda também em Brumado na loja Rei do som ou com Monielly Ferreira, O evento é uma realização de Béa Eventos.

Foto: Marcelo Camargo / Agência Brasil

Os nomes e demais dados das empresas citadas nas investigações da Operação Carne Fraca serão divulgados nesta segunda-feira (20). A promessa é do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, após cobrancas da China e da União Europeia a respeito do esquema desvendado pela Polícia Federal. Seis dos 21 frigoríficos investigados exportaram produtos nos últimos 60 dias. "Acho absolutamente natural que os países façam isso. Estaremos prontos a responder a todos os países que se manifestarem. Temos que ser o mais transparente possíveis nesse processo, dando as informações de imediato, apra que não restem dúvidas sobre a lisura do processo que o Brasil tem", declarou Maggi, de acordo com a Agência Brasil. O ministro criticou ainda a "narrativa" feita pela PF ao divulgar a operação e o fato de não ter sido informado das investigações. "Não posso ter controle sobre como as pessoas se expressam. Sobre a questão do papelão, está claro no áudio de que estavam falando das embalagens e não de misturar papelão na carne. Isso é uma idiotice, uma insanidade, para dizer a verdade", avaliou. Na observação do ministro, não seria razoável para as empresas misturar papelão para aumentar seus lucros quando investem "milhões e milhões" de dólares para conquistar mercados. Maggi ainda defendeu o uso de ácido ascórbico e carne de cabeça de porco nos embutidos. "No regulamento sestá escrito [que pode usar cabeça de porco] em percentuais em determinados produtos. Portanto, a fala de uma empresa que está comprando matéria-prima para utilizar em A, B ou C é permitido, não tem irregularidade nesse processo. Em função da narrativa é que se criou esse grande problema que estamos aqui colocados hoje", acrescentou. O ministro reforçou que a fiscalização sanitária do país é confiável e reconhecido pelo mercado internacional.

Páginas