Foto: Reprodução

Um dos sobreviventes da tragédia com o avião da Chapecoense, que caiu e deixou 71 vítimas fatais, o jornalista Rafael Henzel falou pela primeira vez após o acidente. O narrador conversou com amigos da Rádio Oeste Capital, de Chapecó, e deu uma declaração emocionada. "Oi pessoal, bom dia a todo mundo. Estou com a voz assim porque estou há muito tempo sem usar. Dizer que está tudo bem. Estamos avançando. Deus me deu uma segunda chance e a gente vai comemorar muito, todos nós. Tudo vai ficar bem. Tavinho tá bem. Logo nós vamos para casa para curar todas as lesões. O importante é que estamos vivos aqui pronto para a próxima. Beijo para todo mundo", disse o jornalista. De acordo com os médicos colombianos, os quatro sobreviventes tiveram melhoras graduais no final de semana. Henzel, Follmann e Alan Ruschel já estão respirando sem a ajuda dos aparelhos. Já o zagueiro Neto segue entubado. Ainda de acordo com os médicos o caso dele é o mais delicado. Neto ficou agitado quando a quantidade de sedação foi reduzida.

 

 

Foto: Nonato Lobo Fotografia

Foi realizado no último sábado (03) o primeiro vôo panorâmico sobre a cidade de Brumado. O evento atraiu várias pessoas que realizaram o desejo de sobrevoar a "Capital do Minério". Para os organizadores do vôo, a primeira experiência foi muito importante e até surpreendente, já muitos dos que participaram deste momento são apaixonados por aviação, mesmo vivendo em uma cidade de poucas oportunidades para este seguimento. "O momento foi de troca de ideias e informações sobre aviação" disse Nonato Lobo, fotógrafo que acompanhou o grupo. Segundo os organizadores, devido a grande procura e a pedidos de outros pessoas, um novo vôo panorâmico sera realizado no próximo sábado (10). Interessados para participar devem entrar em contato pelo número 77 9 9976-0459. O vôo com total segurança e tem equipe altamente preparada e piloto com mais de 30 anos de experiência em aviação.

Foto: Divulgação

A professora Juliana Barretto convida à toda família brumadense para prestigiar a primeira apresentação de ballet inclusivo da cidade. A casa de brinquedo, uma releitura do álbum de Toquinho. O evento acontece no dia 20 de dezembro às 19:30 na Praça da Prefeitura. Venha e traga td sua família.

Foto: reprodução

O professor Josemar Tônico, de 40 anos, morreu na noite de sábado (3), após um acidente de carro no quilômetro 58 da BR-415, próximo a Itabuna, Sul Baiano. Ele estava no carro da Universidade Estadual Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC), instituição onde trabalhava como professor de educação à distância. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, quem dirigia o veículo era um motorista da Universidade. O automóvel em que o professor estava, modelo Eco Sport, bateu de frente com um Fiat Uno. Ainda não há detalhes do que teria provocado a tragédia. No momento do fato ele tinha saído de Brumado onde tem um polo da universidade e seguia para Ilhéus, onde morava. O motorista do carro que o professor seguia, de 52 anos, teve ferimentos graves, mas passa bem segundo informações da reitora da instituição, Adélia Pinheiro. Ela também falou sobre a atuação de Josemar na universidade. “Era um rapaz jovem que era um dos tutores [professor] do curso de Letras. Ele seguia no carro da universidade pois voltava de uma viagem de trabalho quando ocorreu o acidente. Ele dava aula no curso à distância, mas algumas atividades são presenciais que ocorrem habitualmente aos sábados e ele precisava viajar”, disse. Adélia informou ainda que a universidade, assim que foi informada da situação, adotou todas as medidas de apoio aos familiares do professor e assistência à vítima hospitalizada. O motorista do outro veículo que bateu de frente com o carro que Josemar estava, também ficou ferido. Não há detalhes do estado de saúde dele. O sepultamento do professor está previsto para segunda-feira (5), às 9 horas, em Ilhéus. Informações do G1.

Foto: Divulgação

A LaMia será investigada pelo governo boliviano. O anúncio foi feito neste domingo (4) pelo ministro de Obras Públicas do país, Milton Claros. A empresa é responsável pelo avião que caiu na Colômbia com jogadores e comissão técnica da Chapecoense, jornalistas e convidades, na última terça-feira (29). Uma investigação ainda deverá ser iniciada, com prazo de dez dias, para determinar o contexto em que a Direção Gerla de Aeronáutica Civil (DGAC) do país autorizou a empresa a fazer tráfego aéreo. De acordo com o jornal El Deber, da Bolívia, foram encontradas evidências de possíveis violações de direitos, quebra de controle interno, uso indevido de influência e omissão. Também há suspeita de conflito de interesses e tráfico de influência, diante das relações diretas entre um servidor da DGAC e um gerente da empresa. O diretor de registro do setor, Gustavo Steven Vargas, seria filho de Gustavo Vargas, diretor geral da LaMia e ex-piloto do grupo aéreo da presidência.
 

Páginas