Foto: Divulgação

O povo pediu e a banda Nairê está de volta! Preparem-se para viver fortes e grandes emoções, na primeira Manhã de Sol do ano, dia 15 de janeiro, domingo, no Clube Social de Brumado, a partir das 11 horas da manhã. O seu Esquenta do Carnaval será inesquecível, ao som da Banda Nairê, que é considerada uma das melhores bandas de axé do Brasil. O evento promete balançar os foliões, em uma espaço amplo, agradável e repleto de gente bonita, reunidas em uma atmosfera festiva calorosa e animada. Prepare-se, Nairê vem aí!

Foto: Marina Silva / Correio

 

Por Eduardo Bittencourt e Priscila Natividade | Correio 24 horas, 

Muita gente não sabe, mas é possível recuperar pelo menos parte do dinheiro gasto com o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) quando se tem o veículo roubado. Quem é vítima desse tipo de crime tem direito a receber o valor proporcional da taxa paga no ano. Em 2016, foram solicitadas 122 restituições, que resultaram em um total de pagamentos de R$ 81,5 mil, de acordo com a Secretaria da Fazenda do Estado (Sefaz). No mesmo período, foram roubados 6.222 carros, de acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP). Em 2015, foram 6.544 casos.  A restituição é feita através da Sefaz e pode ser pedida desde que a vítima  tenha registrado um Boletim de Ocorrência na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos. De acordo com Aline Lessa, gerente de IPVA da Sefaz, a pessoa só terá direito a essa restituição caso o veículo roubado não tenha sido recuperado. “O pedido de restituição só pode ser feito no exercício seguinte, mas isso apenas se o veículo continuar roubado nesse período”, esclarece. A restituição cobre apenas o período em que a pessoa ficou sem o veículo no decorrer do ano. “Como o cálculo é feito mensal e não semanal, então mesmo que o cidadão tenha o veículo roubado no meio de janeiro, por exemplo, ele nunca poderá receber o valor total do IPVA, e sim referente aos 11 meses que ele não teve a posse do veículo”, explica. O editor de vídeo Everson Gomes foi uma das vítimas deste tipo de crime, quando teve o carro levado pelos assaltantes enquanto estava na sinaleira aguardando o sinal abrir. “Estava trafegando na Paralela, sentido Iguatemi quando, na altura do Parque de Exposições, parei na sinaleira. Um gol branco chegou, anunciou o assalto. Mandaram sair do carro e levaram o veículo”, conta. Agora ele vai correr atrás do dinheiro correspondente aos dois meses que ainda faltavam para pagar o IPVA do ano seguinte. Ao todo, Gomes pagou R$ 1,2 mil de IPVA. “Não tive nenhuma informação nesse sentido, que o dinheiro poderia ser revisto. Para mim é novidade. Agora vou buscar esse reembolso. Já pagamos tantos impostos e taxas tão altas e ainda assim temos que conviver com esta situação de insegurança”, destaca. O cálculo é simples. No caso de Gomes, que pagou R$ 1,2 mil de IPVA pelo carro que foi roubado no mês de agosto, ele pode conseguir de volta cerca de R$ 200, levando em conta que o ciclo anual do carro só venceria dois meses depois. Caso o roubo acontecesse no mesmo mês em que foi pago o IPVA, o valor devolvido seria de R$ 1,1 mil. Após adquirir um carro novo, o editor de imagens acabou de pagar R$ 2 mil pelo seguro. “É um dinheiro, que, sem dúvida vale muito a pena. Ainda mais com esta crise, qualquer centavo é um dinheiro que entra e ajuda”, pontua Gomes. 

Como restituir
Após o registro da ocorrência, a delegacia vai enviar os boletins via sistema para o Detran que repassará esses registros para a Sefaz. Em seguida, o sistema calcula o valor proporcional que a pessoa tem direito a resgatar, que só pode ser feito no ano fiscal seguinte. Assim, quem teve o veículo roubado no meio do ano de 2016, só terá direito à restituição no ano de 2017.  Após o BO  registrado e o valor da restituição calculado, a pessoa tem até 5 anos para solicitar a restituição. O pedido de abertura do processo pode ser feito em qualquer posto de atendimento da Sefaz no SAC. Para isso, é preciso ter em mãos documentos de identificação, como o CPF e RG e o número de uma conta para que o depósito seja realizado nos casos em que o processo for aceito. “A gente não exige o documento do carro, por exemplo, porque muitas vezes esse documento foi roubado junto com o veículo”, esclarece ainda a gerente de IPVA da Sefaz, Aline Lessa. Com a abertura do pedido, o processo vai ser analisado pela secretaria. De acordo com a pasta, essa análise do pedido de restituição do IPVA pode demorar um período de 30 a 60 dias. Por fim, o contribuinte é intimado sobre o resultado do processo. Caso ele seja aprovado, o valor referente à restituição será depositado na conta informada pelo contribuinte no momento da abertura do pedido. Em nota, a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA) informou que houve redução, em 2016, de 4,9% no número de ocorrências de roubo e furto de carros em Salvador. "As polícias Civil e Militar, através da Delegacia de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos e do Esquadrão Águia e Companhias Independentes, alcançaram a redução em 2016, comparando com o ano anterior, devido o trabalho integrado, com intenso compartilhamento de informações e promoção de ações contra quadrilhas especializadas nesta prática criminosa. O aumento das blitze e o combate aos galpões de desmanche foram determinantes no alcance desse bom índice", disse. 

TIRA-DÚVIDAS SOBRE A RESTITUIÇÃO DO IPVA

Como solicitar o resgate do IPVA em casos de roubo? Para ter o valor de volta, o motorista deve registrar o Boletim de Ocorrência na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos e, com isso, essa ocorrência já passa a constar no sistema do Detran. O contribuinte deve solicitar a devolução do IPVA em uma unidade da Sefaz no SAC e receberá em conta corrente o valor proporcional, referente aos meses que ele ficou sem o veículo.  Quanto tempo após o roubo do carro a pessoa tem o direito de solicitar o reembolso? O contribuinte tem até 5 anos para solicitar a restituição. Como é medido o valor de resgate do IPVA ? O valor é proporcional aos meses restantes do ciclo. Ou seja, caso o contribuinte tenha pagado R$ 1,2 mil de imposto no mês outubro, ele poderá receber de volta agora R$ 900.  O que é feito com o dinheiro do IPVA que não é retirado? O dinheiro que não é resgatado permanece na conta única do Estado.

Foto: reprodução

Os nove feriados nacionais e três pontos facultativos deste ano podem fazer com que a indústria brasileira perca R$ 66,8 bilhões. O montante representa 4,4% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro e é a maior porcentagem registrada desde 2008. É o que aponta o estudo “O Custo Econômico dos Feriados Federais para a Indústria”, divulgado nesta quarta-feira (4), pela Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (Firjan). De acordo com a Agência Brasil, o levantamento tem como base a relação de feriados e pontos facultativos divulgada pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Ele não contabiliza, entretanto, a Quarta-feira de Cinzas, porque é ponto facultativo até as 14h, e o Dia do Servido Público. Além dos feriados e pontos facultativos nacionais, o país ainda tem mais de 40 feriados estaduais e outros municipais. A federação ressalta que as perdas não se restringem às empresas. As paralisações na atividade industrial provocam uma grande queda de arrecadação tributária para o governo. A Firjan estima que esta perda pode chegar a R$ 27,6 bilhões este ano, o equivalente a R$ 2,5 bilhões a cada feriado nacional, considerando os tributos federais, estaduais e municipais. Para mudar este cenário, a federação propõe que os feriados que caem no meio de semana sejam deslocados para segunda ou sexta-feira. De acordo com a Firjan, a medida contribuiria para a redução do “custo Brasil” e para o aumento da competitividade da indústria. Além disso, que, em meses com a ocorrência de dois ou mais feriados, estes ocorram no mesmo dia, de forma a preservar o número de dias úteis. A federação informa, ainda “que em vista da urgente necessidade de estimular a atividade produtiva e, ao mesmo tempo, ajustar as contas públicas, a mudança seria extremamente oportuna”.

Foto: Divulgação

A Petrobras finalizou nesta quarta-feira (4) a venda de 100% da Petrobras Chile Distribuición Ltda (PCD) para a Southern Cross Group. A operação foi assinada no dia 22 de julho de 2016 e o valor da entrada de caixa resultante da operação foi de US$ 470 milhões. Destes, US$ 90 milhões foram oriundos da distribuição de dividendos líquidos de impostos da PCD, ocorrida em 9 de dezembro de 2016, e os demais US$ 380 milhões foram pagos nesta quarta pela Southern Cross Group. O número, contudo, ainda está sujeito a ajustes finais. A PCD é a companhia de distribuição de combustíveis da Petrobras no Chile e conta com 279 postos de serviços, uma planta de lubrificantes, oito terminais de distribuição, operações em 11 aeroportos e participação em duas empresas de logística. A operação também inclui o licenciamento das marcas Petrobras e Lubrax, por um período de oito anos, podendo ser renovado. A Southern Cross Group é um fundo de Private Equity, com US$ 2,9 bilhões em ativos sob gestão, e foco em investimentos na América Latina, em empresas nos setores industriais, de serviços, logística e de produtos de consumo. De acordo com a estatal, a operação é parte integrante do plano de parcerias e desinvestimentos 2015-2016, que atingiu US$ 13,6 bilhões no biênio. “A venda está alinhada ao Plano Estratégico da Petrobras que prevê a otimização do portfólio de negócios”, justificou a empresa. As informações são do Bahia notícias.

Foto: reprodução

O forte calor em Brumado é resultado da presença de uma massa de ar quente e seco que está predominando sobre toda a região. Com temperatura elevada, que chegou quase à casa dos 35 graus e umidade do ar abaixo de 50 %, os profissionais de saúde fazem um novo alerta para o perigo do forte calor nesta época do ano. O sol quente aliado às altas temperaturas registradas na cidade levam muitas pessoas à procurarem as clinicas e hospitais para tratar os males causadas pelo calor excessivo. “Algumas pessoas podem apresentar dores de cabeça, queda de temperatura, sangramento pelo nariz, tosse e outros problemas respiratórios. A recomendação é para tomar bastante líquido, usar roupas leves, evitar caminhar nos horários mais quentes do dia e locais com grande aglomeração de pessoas. Outra dica é consumir alimentos mais leves, verduras e frutas”, explicou o médico. O corpo humano sente demais, já que com o aumento das temperaturas, aumentam os riscos de desidratação, exaustão e insolação, por exemplo. Pesquisas indicam que há perigos para a saúde quando a temperatura chega a 35ºC em ambiente de muita umidade. Aos 40ºC, mesmo em baixa umidade os perigos são altos.  “Os problemas decorrentes do tempo seco vão desde alergias diversas e respiratórias - consequência do ressecamento das mucosas (com sangramentos pelo nariz), ressecamento da pele e irritação da conjuntiva. A falta de hábito faz com que as pessoas tomem no lugar da água, refrigerantes e outras bebidas açucaradas. Quando transpirar, o líquido será expelido como suor e o açúcar sobrará no organismo… Bebidas com muito açúcar precisam ser evitadas. Uma lata de refrigerante comum contém, em média, 10 colheres de chá de açúcar.”, alertou Dr. Mohamad. A temperatura corporal pode subir a níveis perigosos se não forem adotadas medidas de precaução. “Doenças provocadas pelo calor variam de brotoejas e cãibras à exaustão pelo calor e insolação. Insolação requer assistência médica imediata e pode resultar em morte”, informou o médico. “O coração precisa bater mais rápido, o rim pode parar de funcionar, causando insuficiência renal". Outra ameaça é a lesão de tecidos. Além dos raios solares, que podem danificar a pele, a respiração de ar muito quente pode destruir o tecido pulmonar, impedindo a troca de oxigênio. "O corpo humano está preparado para funcionar normalmente em 30 e poucos graus. Cada grau acima de 38 graus, ele perde 10% de calor", diz o médico, acrescentando que os grandes riscos aparecem quando a temperatura atinge cerca de 45 graus. Segundo o instituto Climatempo, esta quarta-feira (25) deve ser de sol com muitas nuvens durante o dia e pancadas de chuva à tarde e à noite.
 

Páginas