Foto: Nova Rio de Contas Fm

Foi encontrado na tarde desta segunda-feira (12/11/2018) um crânio humano às margens da nascente do Poço Azul em Rio de Contas-BA. Enroscaso entre raízes de plantas e restos de folhagens a descoberta ainda é um mistério. A impressão é de que o crânio rolou morro abaixo devido as enxurradas das chuvas. Nossa equipe de reportagem esteve no local e outros ossos não foram avistados nas proximidades. O caso foi encaminhado a Polícia Civil que fará investigação. O Poço Azul em Rio de Contas é cercado de mistérios relacionados a desaparecimentos de pessoas e acontecimentos sobrenaturais contados pelos antigos moradores. Em montanhas próximas eram enterradas as pessoas que morriam de hanseníase e outras doenças consideradas contagiosas. 

Fonte: Nova Rio de Contas FM 

Foto: Divulgação

No decorrer de uma investigação, a equipe da Delegacia de Polícia Civil de Presidente Jânio Quadros (20ª COORPIN) obteve a informação de que um indivíduo estaria transportando drogas no interior de um ônibus interestadual. De posse da informação, o Investigador de Polícia Civil Antônio Carlos Santos Sousa acionou equipes da Polícia Militar (34ª CIPM) e juntos conseguiram abordar o indivíduo na BA-623, no município de Maetinga. Marcos Bento Cruz, de 40 anos de idade, foi preso em flagrante quando transportava 492 (quatrocentos e noventa e dois) invólucros contendo cocaína.O indivíduo foi apresentado na Delegacia local e autuado em flagrante pelo Delegado Francisco Tadeu Rodrigues, pela prática do crime de tráfico de drogas.

O Tribunal de Contas dos Municípios, nesta quarta-feira (8), julgou procedente denúncia formulada pelos vereadores de Aracatu, Floresdete dos Santos e Klézio Harly Correia, contra prefeito afastado Sérgio Silveira Maia, em razão de irregularidades na contratação da empresa Lopes Serviços Terceirizados, no exercício de 2015. O contrato visava a prestação de serviços de limpeza e conservação dos prédios e órgãos da secretaria de Ação Social, ao custo de aproximadamente R$487 mil. Essa empresa também foi investigada pela Polícia Federal na operação batizada “Chronos”. O conselheiro Mário Negromonte, relator do processo, determinou a formulação de representação ao Ministério Público Estadual para apuração de ato de improbidade administrativa e o ressarcimento aos cofres municipais da quantia de  aproximadamente R$226 mil, com recursos pessoais, que não foi comprovada a prestação de serviços. O gestor também foi multado em R$20 mil. Segundo os vereadores, pelo menos 15 escolas do município, indicadas na lista de pagamento da empresa Lopes Serviços Terceirizados, estão fechadas há mais de dois anos. Contudo, constam como se estivessem em pleno funcionamento, todas com funcionários recebendo salários altos para o padrão municipal, R$1.100,00, para a execução de serviços gerais, e todas com frequência de alunos que não estudam mais naquela localidade em razão do fechamento das unidades escolares. Durante inspeção, a equipe técnica do TCM visitou 28 unidades escolares do município e constatou que todas estavam desativadas e, em sua maioria, em estado de degradação avançada. Sobre a documentação, o gestor apresentou para análise o segundo termo aditivo ao contrato, no valor de R$226 mil, que equivale a 10,54% do montante inicialmente contratado, logo, foi considerado irregular, já que o pagamento ocorreu sem qualquer base contratual. Além disso, os processos de pagamento foram apresentados sem a identificação dos funcionários que teriam prestado serviço, o que corrobora as evidências de que os serviços contratados não foram efetivamente prestados, o que impõe a conclusão de o pagamento foi feito sem a devida contraprestação, gerando dano ao erário. Outros processos de pagamento da empresa, no valor de  pouco mais de R$1 milhão, referentes à execução do objeto contratado do ano de 2015 não foram apresentados devido a sua arrecadação pela Polícia Federal, sendo que os apontamentos foram feitos com base nos dados declaratórios no Sistema Integrado de Gestão e Auditoria (Siga). O Ministério Público de Contas também se manifestou pela procedência da denúncia com a aplicação de multa ao gestor e imputação de ressarcimento aos cofres municipais. A decisão cabe recurso.

O prefeito de Guajeru, Gilmar Rocha Cangussu (PDT), e o vice-prefeito de Malhada de Pedras, Adriano Reis Paca (PP), ambas cidades do sudoeste, tiveram bens bloqueados pela Justiça Federal. Segundo decisão liminar do juiz federal Fábio Stief Marmund, com despacho publicado nesta terça-feira (7), fica bloqueado o montante de até R$ 85,8 mil dos dois políticos e da Transportadora Paca, de propriedade do vice-prefeito de Malhada de Pedras. A decisão atendeu uma denúncia de improbidade administrativa [crime contra a administração pública] feita pelo Ministério Público Federal (MPF) em Vitória da Conquista, na mesma região.

 

Conforme o MPF, o prefeito Gilmar Rocha renovou o contrato com a Transportadora Paca, para o transporte escolar no município, em 2015, com reajuste ilegal de 9% no valor cobrado antes, que foi de R$ 1,9 milhão. Ainda segundo o MPF, o prejuízo causado aos cofres públicos com a renovação irregular foi de R$ 85,8 mil, valor cobrado aos acusados.  Na denúncia, o MPF ainda relatou que a empresa é investigada por improbidade administrativa devido à prestação de transporte escolar em outros municípios.

Assim como Brumado, mais um cidade da região marcou uma passeata em apoio aos caminhoneiros para esta segunda-feira (28). Em Malhada de Pedras, o ato irá acontecer a partir das 17:00 horas com saída do Quiosque de Miguel, nas proximidades do Bradesco. Segundo informações, a cidade já convive com a falta de combustível desde a última sexta-feira (25), e apesar disto a população tem apoiado a paralisação e promete comparecer ao ato de hoje.

Páginas