Foto: Reprodução / O Sul

O WhatsApp ficou fora do ar em várias partes do mundo no começo desta sexta-feira (3). Da Austrália ao Brasil, pessoas de diferentes países reclamaram da queda do serviço nas redes sociais. A hashtag #WhatsAppDown alcançou o topo dos trending topics no Twitter. De acordo com o site Valor, o site Downdetector indicou que os relatos de problemas no aplicativo de mensagens começaram por volta das 6h, mas às 7h a situação já estava normalizada. A empresa ainda não se manifestou oficialmente sobre o ocorrido.

Foto: reprodução

Por Sabrina Craide - Repórter da Agência Brasil,

Os estudantes que vão fazer o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) devem ficar atentos ao material que precisam levar no dia da prova e ao que não é permitido durante a aplicação do exame. No dia da prova, é obrigatório apresentar um documento oficial de identificação com foto. O documento pode ser a carteira de identidade, carteira de motorista, carteira de trabalho, carteira de reservista ou passaporte. A carteira de estudante não será aceita como documento oficial. Também não serão aceitas cópias, nem mesmo as autenticadas. Se o candidato perdeu ou teve o documento roubado, deverá apresentar um boletim de ocorrência expedido por órgão policial há, no máximo, 90 dias do primeiro domingo de aplicação do Enem – dia 5 de novembro. Para fazer as provas, a redação e preencher o cartão de respostas o candidato terá de usar caneta esferográfica de tinta preta, fabricada com material transparente. Outra cor de tinta impossibilita a leitura óptica do cartão de respostas. O cartão de comprovação de inscrição, que deve ser impresso na página do Enem, não é obrigatório, mas é recomendável levar para ter acesso mais fácil a dados como o local e a sala da prova. Quem precisar comprovar sua presença na prova, para apresentar no trabalho, por exemplo, deve levar a declaração de comparecimento impressa e colher a assinatura do coordenador no dia da prova. O formulário está disponível na Página do Participante. Lanches são permitidos, mas os alimentos industrializados, como biscoitos, salgadinhos e iogurte precisam estar com as embalagens lacradas. Todos serão vistoriados antes do ingresso na sala. Não é autorizado o uso de celular ou de qualquer aparelho eletrônico durante as provas. Os aparelhos terão de ser colocados em um porta-objetos com lacre, que deverá ficar embaixo da cadeira até o final das provas. O candidato também não poderá usar lápis, lapiseira, borrachas, livros, manuais, impressos, anotações, óculos escuros, boné, chapéu, gorro e similares e portar armas de qualquer espécie, mesmo com documento de porte. Se estiver com um desses objetos, eles deverão ser colocados no porta-objetos. Neste ano, pela primeira vez será usada a prova personalizada, com os cadernos de questões e o caderno de respostas identificados com nome e número de inscrição do participante. Ao receber a prova, o candidato deverá verificar se o caderno de questões e o cartão de respostas têm a mesma quantidade de itens, se o nome está correto e se não há defeito gráfico. O aluno poderá deixar o local duas horas depois do início da prova. Só é possível sair com o caderno de questões nos últimos 30 minutos antes do fim das provas.  Neste ano, serão usados 67 mil detectores de metal durante o Enem, um para cada 100 participantes. Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), esse número garante a vistoria dos participantes na entrada e na saída de todos os banheiros das 13.632 coordenações de local de aplicação. Neste ano também serão usados detectores de ponto eletrônico.

Itens Proibidos no dia da prova:

Lápis, Chaves, Livros, Manuais, Borracha, Anotações, Boné, chapéu, viseira, gorro ou similares, Fones de ouvido ou qualquer transmissor, gravador ou receptor de dados, imagens, vídeos e mensagens,  Impressos, Lapiseira, Óculos escuros, Caneta de material não transparente, Dispositivos eletrônicos (calculadoras, agendas eletrônicas ou similares, telefones celulares,smartphonestabletsipodspen drives, mp3 ou similares, gravadores, relógios, alarmes)

Panieri Atacarejo, bom negócio todo dia!
Arquivo/Agência Brasil

Depois de uma década de progresso lento, mas contínuo, em direção à igualdade de gênero, pela primeira vez o Fórum Econômico Mundial constatou aumento das disparidades entre homens e mulheres no planeta. A informação consta do Relatório de Desigualdade Global de Gênero 2017, divulgado hoje (2) pela organização. Por causa da queda da participação feminina na política, o Brasil caiu 11 posições em apenas um ano. O estudo indica que 68% da desigualdade de gênero no planeta foi combatida, contra 68,3% em 2016 e 68,1% em 2015. Todos os quatro pilares do relatório apresentaram piora na comparação entre homens e mulheres: acesso à educação, saúde e sobrevivência, oportunidade econômica e empoderamento político. Até o ano passado, os dois últimos itens vinham apresentando evoluções. Pelo cálculo atual, seriam necessários 100 anos para acabar com a desigualdade de gênero em todo o mundo. No ano passado, a previsão era 83 anos. A pior situação é a do mercado de trabalho, em que a organização estima que são necessários 217 anos para acabar com a desigualdade, mesmo com mais da metade dos 144 países pesquisados tendo melhorado no ítem nos últimos 12 meses. “Estamos passando da era do capitalismo para a era do talentismo. A competitividade em níveis nacional e de negócios será decidida, mais do que nunca, pela capacidade de inovação de um país ou uma empresa. Quem entende a integração das mulheres como uma importante força dentro do seu grupo de talentos terá mais sucesso”, afirmou o presidente-executivo do Fórum Econômico Mundial, Klaus Schwab, segundo a nota da instituição. O relatório indica que, se a lacuna de gênero na área econômica em todo o mundo fosse reduzida a 25% até 2025, haveria um acréscimo de US$ 5,3 trilhões ao Produto Interno Bruto (PIB, soma dos bens e serviços produzidos) global. A pesquisa aponta queda de 11 posições do Brasil no ranking de países em comparação com o ano passado, ficando em 90º. Em relação à primeira edição da pesquisa, em 2006, a queda foi de 23 posições. O retrocesso do Brasil o colocou em sua pior situação desde 2011. A baixa participação política das mulheres é o principal elemento que motivou a queda, apesar de modestos avanços do país no quesito de participação econômica. Apesar da piora na classificação, o relatório destaca que o Brasil resolveu suas diferenças de gênero na área de educação. O país mais bem colocado no índice geral foi a Islândia, que resolveu 88% da desigualdade de gênero e permanece no topo da lista há nove anos. Em seguida vêm Noruega, Finlândia, Ruanda e Suécia. O país mais bem classificado da América Latina é a Nicarágua, em sexto lugar, seguida pela Bolívia, em 17º. “Em 2017, não deveríamos estar vendo um progresso em direção à paridade de gênero ser revertido. Igualdade de gênero é tanto moral quanto um imperativo econômico. Alguns países entenderam isso e estão vendo os dividendos das medidas proativas que tomaram para tratar suas disparidades de gênero”, informou a chefe de Educação, Gênero e Trabalho do Fórum Econômico Mundial, Saadia Zahidi, no comunicado da organização.

Foto: Se liga Brumado

De acordo com informações do instituto de meteorologia - Climatempo, este feriado de quinta-feira (02) vai ser de muita chuva durante todo o dia na 'Capital do Minério'. A previsão é de 12mm de chuva. A temperarura deve variar entre os 23 e 39 Cº. Para ter acesso as previsões, clique aqui.

Foto: reprodução / WhatsApp

O acidente foi registrado na manhã desta quarta-feira (01) na Praça Armindo Azevedo, no centro de Brumado. Segundo informações, um idoso de aproximadamente 80 anos colidiu contra cinco carros que estavam estacionados na referida praça. À polícia ele disse que teria sido fechado por um outro veículo. Após o acidente, o senhor passou mal e foi atendido por uma equipe do SAMU. A Polícia Militar e Agentes de Trânsito foram acionados para registrar a ocorrência e controlar o trânsito que ficou congestionado. 

Foto: Reprodução / Icetran.org

por Bruno Ribeiro | Estadão Conteúdo,

Motoristas que estourarem 20 pontos em multas de trânsito perderão a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) agora pelo prazo de seis meses. A regra passa a valer a partir desta quarta-feira (1º). Antes, o limite mínimo era de apenas um mês. O tempo máximo sem habilitação continua sendo de 12 meses. Desde novembro, mudanças na legislação também agravaram alguns tipos de infração, como uso do celular ao volante, que passou do grau médio, de 4 pontos na carteira, para gravíssimo, com 7 pontos. A mudança de prazos para suspensão da CNH já havia sido estabelecida em uma lei federal aprovada em novembro do ano passado. Segundo a regra, se o motorista é reincidente, o limite mínimo de punição passa para oito meses - até agora, era de seis meses. "Quem for notificado sobre a instauração do processo e acumular pontuação de infrações cometidas antes de 1º de novembro de 2016 ainda receberá penalidade de acordo com a regra anterior, partindo de um mês de suspensão", informou o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) de São Paulo, em nota. O órgão também explica que prazo total é estipulado de acordo com o histórico do cidadão e da gravidade das infrações que constam no prontuário. A punição de suspensão vale para motoristas que atingem 20 pontos em multas no intervalo de 12 meses. Se a pontuação é alcançada, o motorista infrator é notificado pelo Detran sobre a instauração do processo. Quando a permissão de dirigir é revogada, o condutor precisa ir até um posto do departamento de trânsito e entregar o documento, que é devolvido só após o prazo de suspensão correr e depois que o motorista apresentar um certificado de conclusão de um curso de reciclagem. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Malharia Todo Estilo

A Malharia Todo Estilo é uma das maiores empresas do seguimento, ganhando espaço no mercado, com uma equipe de funcionários experientes e bem qualificados  - buscando qualidade para uma entrega rápida e com preços incríveis. A empresa fica localizada na Rua Visconde de Ouro Preto, 36, Bairro das Flores. Para maiores informações, entre em contato através dos telefones: 77 9.9981-6404 / 9.9984-0068.

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

A Previdência Social perdeu 1,4 milhão de contribuintes desde 2014, período em que se considera o início da recessão. Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), divulgados nesta terça-feira (31), apontam que o movimento se intensificou em 2017, quando o percentual de trabalhadores que contribuem para a aposentadoria caiu para 63,8% no trimestre encerrado em setembro - mesmo nível observado no início de 2014. No ano passado, 65,5% da força de trabalho ocupada continuou contribuindo com a Previdência, apesar da alta do desemprego. Por outro lado, a receita da contribuição tem apresentado pequena recuperação neste ano. Até agosto, foi registrada alta de 4,6% em relação a 2016. De acordo com a Folha, a queda recente na proporção de contribuintes acende um alerta para o rombo que sobe anualmente. A discussão da reforma está em tramitação no Congresso e, com a proximidade das eleições, analistas apostam na aprovação de uma versão diluída do projeto. Bahia Notícias.

Foto: reprodução

O Índice de Confiança Empresarial (ICE) avançou 2,6 pontos de setembro para outubro, indo a 90,3 – o maior nível desde os 91,3 pontos de julho de 2014. A constatação é do Instituto Brasileiro de Economia/Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE), que divulgou hoje (1º), no Rio de Janeiro, o Índice de Confiança Empresarial de outubro. Para o superintendente de Estatísticas Públicas da FGV, Aloisio Campelo Jr., com “o avanço mais expressivo dos indicadores da situação atual, a recuperação da confiança empresarial ganhou consistência nos últimos meses”. Em relação ao futuro, o economista exemplifica o comportamento do indicador de emprego, que vem se recuperando lentamente, embora pressionado pela informalidade do mercado de trabalho. É esse comportamento do indicador de emprego, segundo Campelo Jr., que faz com que o pessimismo dê lugar a um otimismo moderado. “O indicador de emprego registra, pela primeira vez desde novembro de 2014, um número maior de empresas prevendo mais aumento do que redução do total de pessoal ocupado nos meses seguintes”, explica. O indicador divulgado hoje pelo Ibre/FGV mostra o Índice de Confiança Empresarial (ICE) consolidando os índices de confiança dos quatro setores cobertos pelas sondagens empresariais produzidas pelo FGV: indústria, serviços, comércio e construção. Em outubro, o Índice de Situação Atual (ISA-E) avançou mais que o Índice de Expectativas (IE-E) pelo terceiro mês seguido, reduzindo a distância entre os dois indicadores para 10,9 pontos. Enquanto o ISA-E cresceu 2,6 pontos indo para 86,1, o maior desde os 86,8 pontos de dezembro de 2014,o IE-E subiu 1,5 para 97 pontos, o maior nível desde os 97,2 pontos de março de 2014. A confiança do empresariado aumentou em todos os setores com a maior contribuição para a alta do ICE sendo dada pela indústria, cujo avanço foi de 0,9 ponto, o mesmo obtido pelo setor de serviços, seguido pelo comércio (0,7 ponto) e pela construção (0,1 ponto). Já o indicador que mede o ímpeto de contratações cresceu 1,8 ponto percentual em outubro, alcançando 101,8 pontos, sinalizando que há mais empresas prevendo aumento do que redução do quadro de pessoal nos próximos meses, algo que não ocorria desde novembro de 2014. A maior contribuição para a alta na margem foi dada pelo comércio (1 ponto), seguida por serviços (0,7 ponto) e pela construção (0,2 ponto). No mês, a indústria, no entanto, contribuiu negativamente com 0,1 ponto. A Fundação Getulio Vargas finaliza a análise constante do Índice de Confiança Empresarial destacando que houve difusão da alta da confiança entre os segmentos. Em outubro, a confiança cresceu em 63% dos 49 segmentos pesquisados para compor o ICE. Considerando-se médias móveis trimestrais, a proporção de segmentos em alta na margem é de 64% do total.

Foto: reprodução

A Padaria União Santos se destaca pois oferece qualidade, experiência, capricho e profissionalismo de uma equipe especializada, que oferecem produtos diversos e com sabores incomparáveis. Mostrando ser a mais querida pelos Brumadenses, a empresa está há mais de 12 anos no mercado, e foi premiada pelo 8º ano consecutivo, recebendo o certificado de consagração pública no evento 'Destaques do Ano' realizado pela TP Publicidade, em Brumado.  A Padaria União Santos fica localizada na Av. Otávio Mangabeira, no bairro Nobre, próxima à escola Nossa Senhora de Fátima. Na padaria União Santos você encontra as melhores tortas doces e salgadas, salgados diversos, pães, bolos e muito mais com sabores incomparáveis. Aceitamos encomendas para qualquer tipo de evento e dispomos de uma linha especial de Tortas doces, feitas com os melhores ingredientes e com muito capricho por quem realmente entende do assunto. Façam já os seus pedidos para aniversários, casamentos e confraternizações. Maiores informações 77 3441-3642.

Foto: Shutterstock

por Renata Farias,

Ações de fiscalização do Conselho Regional de Odontologia da Bahia (CRO-BA) resultaram, de 2012 a 2016, em 107 prisões em flagrante por exercício ilegal da profissão. O número corresponde a 79% do total das prisões de falsos dentistas na Bahia. Apenas em 2017, até setembro, já foram registradas 11 prisões. Para a presidente do CRO-BA, Viviane Dourado, o crescimento na identificação de falsos profissionais está relacionado à metodologia implantada pela Coordenação de Fiscalização, por meio de parcerias entre a Polícia Militar, o Ministério Público e a Vigilância Sanitária. "Com a parceria, a gente conseguiu coordenar essas ações. Apesar de muita gente achar que a prisão de ilegais é competência do conselho, isso não é verdade. É apenas um órgão fiscalizatório para cirurgiões dentistas e outros profissionais relacionados. A apreensão do ilegal tem que ser feita por esses outros órgãos", explicou em entrevista ao Bahia Notícias. Uma informação específica que preocupa o CRO-BA é o aumento no número de estudantes que exercem a profissão antes de concluírem a formação. "Não são apenas pessoas sem nenhuma formação que praticam a odontologia ilegalmente, mas também aquela pessoa que está cursando Odontologia. Ele é considerado ilegal porque não tem nenhuma formação ainda. Pelo número crescente de faculdades de Odontologia, a gente tem um número grande de estudantes flagrados como ilegais", avaliou a profissional. Do total de prisões realizadas, 90% aconteceram no interior da Bahia. Para Viviane, o índice está relacionado a uma ideia de que há maior dificuldade na fiscalização. No entanto, as ações são coordenadas de forma a abranger todo o estado. É considerado exercício ilegal da profissão a atuação sem diploma e inscrição no CRO do estado; sem revalidação no diploma, no caso de profissionais formados no exterior; dentistas que tiveram suspensão ou cassação do diploma; e ausência de qualquer formação técnica ou habilitação legal. A pena varia de seis meses a dois anos de prisão. As ações da Coordenação de Fiscalização são realizadas a partir de denúncias, que podem ser feitas sigilosamente por meio do telefone (71) 99709-8816.

Páginas